MISODOR - SITE DE ESTUDO E TREINAMENTO PARA PROVAS DA ÁREA MÉDICA
 

521 RECADOS
CLINICA MEDICA               CIRURGIA               PEDIATRIA           GINECOLOGIA              SAÚDE PUBLICA E LEGISLAÇÃO
QUESTÕES OBJETIVAS      QUESTÕES DISSERTATIVAS     CASOS CLINICOS     PROVAS ANTERIORES     SIMULADOR
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 3612 QUESTÕES OBJETIVAS, 37 QUESTÕES DISCURSIVAS E 44 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO

CARDIOPATIAS CONGÊNITAS

Um sopro cardíaco é observado no primeiro dia de vida de um neonato nascido a termo de um parto sem complicações. O sopro é descrito como um sopro sistólico de ejeção de grau 2/6 de predomínio na borda esternal esquerda alta. As bulhas cardíacas são normais. A pressão sanguínea é normal. Os pulsos periféricos são normais. A saturação de oxigênio é de 100% em ar ambiente. No terceiro dia de vida, o sopro mudou de sistólico para contínuo, novamente de predominância na borda esternal esquerda alta. O bebê parece bem e está tolerando as amamentações sem dificuldades. Qual a provável causa deste sopro cardíaco?

A. canal arterial patente
B. defeito do septo atrial
C. defeito do septo ventricular
D. estenose pulmonar periférica
E. estenose aórtica

A. canal arterial patente
CORRETO: A causa mais provável deste sopro é um canal arterial patente. O canal arterial é necessário para a circulação fetal; entretanto, a estrutura geralmente fecha em horas após o parto decorrente das mudanças na tensão de oxigênio, assim como outros fatores circulantes, como a prostaglandina. Persistência do canal arterial ocorre em aproximadamente 0,8 por 1.000 nascimentos, porém é muito mais comum em recém-nascidos prematuros com uma incidência tão alta quanto 20% em neonatos pesando menos de 1.750 g. Em pacientes com baixa tensão de oxigênio, hipertensão pulmonar, ou doença cardíaca congênita, há fechamento tardio do canal arterial.
B. defeito do septo atrial
INCORRETO : Defeitos do septo atrial são improváveis de causar um sopro cardíaco nesta idade
C. defeito do septo ventricular
INCORRETO : defeitos do septo ventricular causam um sopro holossistólico que não evolui para um sopro contínuo.
D. estenose pulmonar periférica
INCORRETO : Estenose pulmonar periférica está associada a um sopro sistólico de ejeção, que irradia para as costas e ambas as axilas.
E. estenose aórtica
INCORRETO : Estenose aórtica causa um sopro sistólico que não evolui para um sopro contínuo.

Gabarito: A

PAREDE TORÁCICA E PLEURA

Enumeram as quatro manobras clinicas provocativas para avaliação de um paciente com sindrome de desfiladeiro toracico (0,5 pontos)

Foram descritas quatro manobras clínicas provocativas para avaliação de um paciente com suspeita de SDT. A perda ou a redução no pulso radial ou da reprodução dos sintomas neurais sugere um teste positivo.

(1) O teste de Adson (escaleno) provoca um estreitamento do espaço entre os escalenos anterior e médio, resultando em compressão da artéria subclávia e do plexo braquial. O paciente é instruído a inspirar maximamente e parar de respirar enquanto o seu pescoço é estendido completamente e a cabeça é girada na direção do lado afetado.Redução ou perda do pulso radial ipsilateral sugere compressão. (0,125 p)

(2) O teste de Halstead (costoclavicular) é usado para estreitar o espaço costoclavicular entre a primeira costela e a clavícula, deste modo causando compressão neurovascular. O paciente é instruído a colocar os seus ombros em uma posição de militar (recuados para trás e para baixo). Esta manobra causará modificações no pulso radial, se houver presente compressão de uma ou de ambas as artérias subclávias. (0,125 p)

(3) O teste de Wright (hiperabdução) leva a uma compressão das estruturas neurovasculares na região subcoracóide pelo tendão do peitoral, pela cabeça do úmero ou pelo processo coracóide. Para realizar esse teste, o braço do paciente é hiperabduzido 180 graus. Suspeita-se de compressão mediante redução ou perda do pulso radial. (0,125 p)

(4) O teste de Roos é realizado solicitando-se que o paciente abduza do seu braço 90 graus com uma rotação externa do ombro. Mantendo esta posição corporal, o teste de Roos modificado é realizado abrindo-se e fechando-se a mão rapidamente durante 3 minutos em uma tentativa de reproduzir os sintomas. (0,125 p)

http://www.misodor.com/PAREDETORACICAEPLEURA.html


Um sopro cardíaco é auscultado pela primeira vez pelo pediatra durante uma avaliação física de rotina de um menino de 7 anos de idade sem um prévio histórico médico significativo. O exame físico demonstra um sopro sistólico vibratório de grau 2/6 de predomínio na borda esternal esquerda baixa sem irradiação. O restante do exame físico é normal.

Questiona-se:

1) Qual é o diagnostico mais provável deste sopro cardíaco? (0,1 pontos)

2) Quais são os testes necessários neste momento para essa criança? (0,2 pontos)

3) Os pais questionam sobre o perigo de participar em atividades esportivas. O que você vai responder? (0,2 pontos)

1) Qual é o diagnostico mais provável deste sopro cardíaco?

O paciente provavelmente possui um sopro de Still. Este sopro é descrito como um sopro sistólico de ejeção musical ou vibratório, ocorrendo na borda esternal esquerda sem outros achados cardíacos associados. E o sopro cardíaco inocente mais comum em crianças e geralmente se manifesta aos 2-7 anos de idade. (0,1 pontos)

2) Quais são os testes necessários neste momento para essa criança?

Os testes comuns realizados na avaliação dos sopros cardíacos inocentes incluem

  1. ECG-s de 12 derivações (0,05 pontos)
  2. radiografia torácica (0,05 pontos)
  3. medições da pressão sanguínea nas quatro extremidades (para excluir coarctação da aorta) (0,05 pontos)
  4. ecocardiograma (0,05 pontos)

3) Os pais questionam sobre o perigo de participar em atividades esportivas. O que você vai responder?

A participação em atividades esportivas não é restrita, pois não há um aumento nos eventos cardíacos associadas aos sopros cardíacos inocentes. (0,2 pontos)