MISODOR
 

 

 

 

 

 

MISODOR

 


454
RECADOS                                                                                                
Custom Search
AREA DE LOGIN      
USUARIO:              
SENHA                  
NECESSÁRIO SOMENTE PARA COLABORADORES, TODO CONTEUDO PROGRAMATICO ESTÁ DISPONIVEL SEM SENHA NA ÁREA DE MEDICINA
MEDICINA
CLINICA MEDICA                       CIRURGIA                      OBSTETRICA-GINECOLOGIA                     PEDIATRIA                      SAÚDE PUBLICA
TREINAMENTO
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 3372 QUESTÕES OBJETIVAS, 30 QUESTÕES DISCURSIVAS E 31 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO
OBJETIVAS
                     DISCURSIVAS                     CASUISTICA                    PROVAS ANTERIORES                     SIMULADOR DE PROVA
UTILITÁRIOS
GLOSSARIO                              INDEX FARMACON                              ESCALA DE GLASGOW

INSUFICIÊNCIA ARTERIAL CRONICA

Lesões com alto grau de estenose arterial perferica podem justificar a observação mais intensa, a arteriografia ou a intervenção para prevenir a falência beneficiam de avaliação duplex scan pelo criterio de velocidade. É indicativo de lesão hemodinâmica crítica:

A. velocidade de pico sistólico > 30 cm/s
B. média de velocidade[lesão/contra-corrente] > 3,5
C. indice tornozelo-braço < 0.6
D. variação de pico de fluxo sistolico maior de 30% entre arteria femural e arteria pediosa
E. velocidade global mínima <400 cm/s, através do enxerto

TRAUMATOLOGIA

Indicam os exames OBRIGATORIOS de rotina em todos os politraumatizados (0,5 p).

J.S.S., masculino, 14 anos e 7 meses, natural e procedente de Lagoinha - BA, está cursando a 5ª. série do 1º. grau, trabalhador rural.

Apresenta febre e aumento de volume abdominal há ± 3 meses. Essa febre é vespertina diária (não aferida), e acompanha astenia, hiporexia e sudorese há ± 3 meses. Associado, apresentou aumento do volume abdominal, pequenos nódulos no pescoço e episódios de epistaxe (“sangue vivo”).

Como permanecia até 4 dias sem evacuar em casa e apresentou 2 episódios de dispnéia em repouso, procurou por atendimento médico em sua cidade de origem, sendo tratado com Sulfato ferroso e Bactrim. Em 3 meses, não apresentou melhora do quadro febril e aumento abdominal, e ainda iniciou quadro de edema em ambos os pés e tosse seca. Fez uso de fenobarbital até os 10 anos de idade, tendo interrompido por orientação médica). Nega outras doenças, alergias e uso de medicações atuais.

É orientado, hipocorado (+/+4), eupnéico, febril ao toque, acianótico,  emagrecido.Peso: 29 kg  PA: 110 x 70 mmHg

Linfonodos: Linfoadenopatia cervical bilateral   (± 1 cm, simétricos, indolores, móveis, fibroelásticos, sem sinais flogísticos).

ACV: RCR em 2T, bulhas hiperfonéticas, sopro sistólico (3+/+6). FC: 98 bpm.

AR: MV+ bilateralmente, sem estertores, sem chiado. FR 24/minuto

ABD: Distendido, hipertimpânico, fígado à ± 5 cm do RCD e do apêndice xifóide, Traube ocupado (ponta de baço palpável?).

Extremidades: Bem perfundidas, sem edema nos pés.

QUESTIONA-SE:

1) Enunciam pelo menos três hipóteses diagnósticos (0,3 pontos).

2) Considerando que os exames laboratoriais foram irrelevantes, quais são as proximas investigações para esclarecer o diagnóstico? (0,1 pontos)

3) Há alguma justificativa para eliminar o diagnóstico de tuberculose? Explicam os motivos (0,1 pontos)