MISODOR - SITE DE ESTUDO E TREINAMENTO PARA PROVAS DA ÁREA MÉDICA

RECOMENDAÇÃO PARA RESUMOS: NOVAPEDIATRIA.COM.BR

 

588 RECADOS
CLINICA MEDICA               CIRURGIA               PEDIATRIA           GINECOLOGIA              SAÚDE PUBLICA E LEGISLAÇÃO
QUESTÕES OBJETIVAS      QUESTÕES DISSERTATIVAS     CASOS CLINICOS     PROVAS ANTERIORES     SIMULADOR
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 3918 QUESTÕES OBJETIVAS, 40 QUESTÕES DISCURSIVAS E 46 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO

CHOQUE

O organismo que sofre um trauma, cirúrgico ou não, responde com uma série de alterações endócrinas e metabólicas. As alterações encontradas na resposta inicial à injúria incluem:

A. hiperglicemia, hipoinsulinemia, ácidos graxos livres elevados, catecolaminas e glucagon elevados
B. catecolaminas normais, glucagon elevado, ácidos graxos livres diminuídos, hipoglicemia e temperatura diminuída
C. ácidos graxos livres elevados, catecolaminas e glucagon elevados, hiperinsulinemia, hipoglicemia e temperatura elevada
D. insulinemia em níveis normais, temperatura elevada, hipoglicemia, catecolaminas diminuídas e glucagon em níveis normais
E. glucagon e catecolaminas diminuídos, hiperglicemia, ácidos graxos livres diminuídos, hipoinsulinemia e temperatura diminuída

A. hiperglicemia, hipoinsulinemia, ácidos graxos livres elevados, catecolaminas e glucagon elevados
CORRETO: Na resposta ao trauma, encontramos: hiperglicemia (gliconeogênese exacerbada e ação de hormônios contra-insulínicos - glucagon, cortisol e catecolaminas), níveis reduzidos de insulina (baixos, normais ou aumentados na lesão acidental), ácidos graxos livres aumentados (mobilizados do tecido adiposo através da lipólise), catecolaminas e glucagon elevados e temperatura axilar discretamente aumentada (ação da IL-1).
B. catecolaminas normais, glucagon elevado, ácidos graxos livres diminuídos, hipoglicemia e temperatura diminuída
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
C. ácidos graxos livres elevados, catecolaminas e glucagon elevados, hiperinsulinemia, hipoglicemia e temperatura elevada
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
D. insulinemia em níveis normais, temperatura elevada, hipoglicemia, catecolaminas diminuídas e glucagon em níveis normais
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A
E. glucagon e catecolaminas diminuídos, hiperglicemia, ácidos graxos livres diminuídos, hipoinsulinemia e temperatura diminuída
INCORRETO : veja a resposta da alternativa A

Gabarito: E

COMA NA INFÂNCIA

Quais causas de alteração do estado mental representam, particularmente, risco de vida?

A lista inclui:
- hematoma epidural (0,045 p)
- edema cerebral (0,045 p)
- neoplasias cerebrais (0,045 p)
- infartos cerebrais (0,045 p)
- disfunções dos shunts liquóricos cirúrgicos (0,045 p)
- meningite (0,045 p)
- encefalite (0,045 p)
- ingestão de substâncias tóxicas (0,045 p)
- hipotensão (0,045 p)
- hipoxia (0,045 p)
- sepse (0,045 p)

Steven M, Selbst; Kate Cronan - SEGREDOS EM EMERGÊNCIA PEDIATRICA


Criança do sexo masculino, seis anos de idade, sem antecedentes patológicos de relevo. Apresentou início agudo de tosse rouca, disfonia e estridor associados a sinais de dificuldade respiratória com agravamento progressivo. Sem outra sintomatologia associada. Sem conviventes doentes.
Observado por pediatra assistente cerca de duas horas após o início da sintomatologia, tendo sido objetivada febre (temperatura axilar de 38ºC).
À admissão apresentava-se polipneico, disfônico, com sinais de dificuldade respiratória grave nomeadamente estridor inspiratório, tiragem subcostal, supra-esternal e adejo nasal. Sem alterações na auscultação cardio-pulmonar, sem hipoxemia.
Manteve-se febril e, apesar da terapêutica com adrenalina nebulizada em intervalos regulares, manteve estridor, que se tornou bifásico. Cerca de oito horas após o início da sintomatologia, iniciou hipoxemia (FiO2 máximo de 0.28 para manter saturações periféricas de oxigênio > 92%). O estudo analítico demonstrou 10,2x109/L leucócitos com 84,8% neutrófilos e proteína C reativa (PCR) 53,2mg/L.
Utilizando os dados acima, esclarece:

1) Qual é a principal suspeita diagnóstica? 0,1 pontos
2) Indicam pelo menos três parâmetros de diagnóstico diferencial de laringotraqueobronquite. 0,3 pontos
3) Que agentes etiológicos são mais frequentemente implicados? 0,1 pontos

1) Baseado no exame clinico e semiológico a principal suspeita é de traqueite bacteriana. A traqueite bacteriana (lambem chamada de traqueíte membranosa ou crupe pseudomembranoso ou laringotraqueobronquite bacteriana ou laringite membranosa) é uma infecção bacteriana aguda da região subglótica da via aérea superior que pode provocar uma obstrução das vias aéreas com risco de óbito. Foi descrita pela primeira vez em 1945 por Chevalier Jackson e consiste de fato numa infeção bacteriana exsudativa dos tecidos moles da laringe e traqueia. Desde a introdução da vacina contra o Haemophilus influenza tipo b, o número de casos de epiglotite diminuiu drasticamente na população pediátrica e desde então a traqueite bacteriana tem ganho relevância como infeção das vias aéreas superiores potencialmente fatais. 0,1 p

2) Três dos mais importantes elementos de diagnostico diferencial com laringotraqueobronquite: início abrupto do estridor (0,1 p) febre de dificil controle (0,1 p), falha de resposta na adrenalina (0,1 p);

3) Os agentes etiológicos mais frequentemente isolados são o Staphylococcus aureus (0,05 p) e Streptococcus pyogenes (0,05 p)