MISODOR - SITE DE ESTUDO E TREINAMENTO PARA PROVAS DA ÁREA MÉDICA
ÁREA DOS COLABORADORES
USUÁRIO
SENHA

 

473 RECADOS
CLINICA MEDICA               CIRURGIA               PEDIATRIA           GINECOLOGIA              SAÚDE PUBLICA E LEGISLAÇÃO
QUESTÕES OBJETIVAS      QUESTÕES DISSERTATIVAS     CASOS CLINICOS     PROVAS ANTERIORES     SIMULADOR
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 3448 QUESTÕES OBJETIVAS, 30 QUESTÕES DISCURSIVAS E 34 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO

TUMORES BENIGNOS DO CORPO UTERINO

NÂO representa um fator de risco para o leiomioma uterino:

A. a multiparidade
B. raça negra
C. obesidade
D. histórico de hiperestrogenismo
E. histórico familiar de mioma

A. a multiparidade
CORRETO: Admite-se que o leiomioma uterino seja hormônio dependente, fazendo parte do complexo clínico do hiperestrogenismo. Incide preferencialmente em: pacientes de cor negra, nulíparas, obesas, história de hiperestrogenismo, história familiar.
B. raça negra
INCORRETO :
C. obesidade
INCORRETO :
D. histórico de hiperestrogenismo
INCORRETO :
E. histórico familiar de mioma
INCORRETO :

Gabarito: A

ESQUISTOSSOMIASE

Enumeram os principais pontos da estrategia de prevençao da esquistossomiase (0,5 pontos)

A esquistossomose é, fundamentalmente, uma doença resultante da ausência ou precariedade de saneamento básico.

I) Controle dos Portadores

Identificação dos portadores de S. mansoni, por meio de inquéritos coproscópicos a cada dois anos, deve fazer parte da programação de trabalho das secretarias municipais de saúde das áreas endêmicas. (0,05 p)

Quimioterapia específica dos portadores, visando reduzir a carga parasitária e impedir o aparecimento de formas graves. (0,05 p)

Para o diagnóstico e tratamento dos portadores faz-se necessária a participação das equipes do Programa Saúde da Família (PSF), que devem atuar em conjunto com os agentes de saúde encarregados do Programa de Controle da Esquistossomose, por exemplo, no tratamento dos portadores e nas orientações sobre educação em saúde para as pessoas expostas ao risco de contrair esquistossomose.(0,05 p)

A coproscopia para a detecção dos indivíduos infectados pelo S. mansoni e o conseqüente tratamento são medidas dirigidas de maneira direta e mais imediata ao objetivo principal do Programa: controlar a morbidade, especialmente prevenindo a evolução para as formas graves da doença.(0,05 p)

Essas ações de diagnóstico e tratamento devem ser viabilizadas, incorporadas e integradas à rotina dos serviços de atenção primária à saúde (rede básica de saúde). (0,05 p)

II) Saneamento Ambiental

As ações de saneamento ambiental são reconhecidas como as de maior eficácia para as modificações de caráter permanente das condições de transmissão da esquistossomose e incluem:

- coleta e tratamento de dejetos, (0,04 p)

- abastecimento de água potável, (0,04 p)

- instalações hidráulicas e sanitárias, (0,04 p)

- aterros para eliminação de coleções hídricas que sejam criadouros de moluscos, (0,04 p)

- drenagens, limpeza e retificação de margens de córregos e canais, (0,04 p)

- construções de pequenas pontes.(0,04 p)

Essas ações deverão ser simplificadas e de baixo custo, a fim de serem realizadas em todas as áreas necessárias. (0,01 p)

MISODOR


Após a realização de maratona, um atleta dá entrada no hospital e o exame de gasometria laboratorial realizado imediatamente, antes do efeito da medicação aplicada é o seguinte: pH: 7,14
[HCO3]real: 10 mEql/l
pCO2: 30 mmHg
[HCO3]standard: 12 mEql/l
BE.: ‐8

Baseado neste resultado, você acha que a administração de bicarbonato endovenoso fará algum efeito para reverter esse quadro? Discuta os resultados apresentados e sugira as razões para este quadro.

ETAPA 1: É acidose ou alcalose? Vamos olhar o pH, que é 7,14, ou seja temos uma acidose.
ETAPA 2: É uma acidose RESPIRATÓRIA ou METABÓLICA?. Qual parâmetro é o mais modificado? O CO2 é baixo, então provavelmente que predomina uma ACIDOSE METABOLICA.
ETAPA 3: Essa acidose é uma acidose metabólica pura? Para isso vamos ter que calcular o ANION GAP. Para o calculo deste parâmetro ou vamos utilizar a formula que leva em consideração Na+, Cl- e HCO3- (dados que não foram fornecidos pelo enuncio) ou podemos utilizar o bicarbonato standard e real, sendo que: HCO3 corrigido (10 mEq/l) = HCO3 (12 mEq/l) - (AG-12)  
Ou seja, o AG=14, e, sendo maior que 12. Convencionalmente ele estará aumentado se for maior de 12 mEq e baixo se for menos que 12 mEq.

As acidoses com AG aumentado, então, são caracterizadas pelo cúmulo de outros ácidos que HCl ou H2CO3, refletindo, então, a retenção de fosfatos, ácidos orgânicos, ou tóxicos endógenos. Nestes casos a cloremia vai ser normal. É explicável, já que, consecutivamente ao esforço físico, aparece a acidose láctica (anaerobiose - desvio do ciclo Krebs - glicólise anaeróbica).

Ou seja, existem outros ácidos (neste caso, o acido láctico) que abaixa o pH. A administração de bicarbonato é necessária para tamponar a acidemia láctica.