MISODOR - SITE DE ESTUDO E TREINAMENTO PARA PROVAS DA ÁREA MÉDICA
ÁREA DOS COLABORADORES
USUÁRIO
SENHA

468 RECADOS
CLINICA MEDICA               CIRURGIA               PEDIATRIA           GINECOLOGIA              SAÚDE PUBLICA E LEGISLAÇÃO
QUESTÕES OBJETIVAS      QUESTÕES DISSERTATIVAS     CASOS CLINICOS     PROVAS ANTERIORES     SIMULADOR
BANCO DE PROVAS EM CONTINUA EXPANSÃO, ATUALMENTE COM 3448 QUESTÕES OBJETIVAS, 30 QUESTÕES DISCURSIVAS E 34 CASOS CLINICOS, TODAS COM GABARITO COMENTADO

SALMONELOSE

Constitui risco de contaminação com Salmonella as seguintes, EXCETO:

A. bichos de estimação como tartarugas e pequenas aves
B. evisceração e empacotamento das aves para consumo humano
C. utilizar ovos pasteurizados no preparo dos alimentos
D. lavar as frutas com agua não potável
E. portadores crônicos assintomáticos

A. bichos de estimação como tartarugas e pequenas aves
INCORRETO: animais domésticos, hoje muito utilizados como animais de estimação, tais como, pequenas tartarugas, papagaios exóticos e até serpentes também podem ser portadoras dessas bactérias, constituindo importantes fontes de infecção para o homem.
B. evisceração e empacotamento das aves para consumo humano
INCORRETO : As carcaças dessas aves portadoras podem se contaminar com o conteúdo fecal durante processo de abate, evisceração e empacotamento para consumo humano, por isso, recomenda-se a ingestão dessas carnes bem cozidas, mesmo que as mesmas tenham permanecido congeladas por longo tempo.
C. utilizar ovos pasteurizados no preparo dos alimentos
CORRETO : A pasteurização dos ovos e a eliminação daqueles com casca quebrada têm resultado em drástica diminuição dos casos de salmonelose.
D. lavar as frutas com agua não potável
INCORRETO : a contaminação das frutas pode ocorrer durante a lavagem das mesmas com água não potável (o caso da contaminação dos americanos com mangas provenidas do Brasil)
E. portadores crônicos assintomáticos
INCORRETO : A transmissão de salmonelas a partir de fontes humanas tem se tornado nas últimas décadas pouco freqüente; portadores crônicos assintomáticos, com hábitos de higiene inadequados podem transmitir essas bactérias a outras pessoas, quando manipulam alimentos em restaurantes ou durante casamentos e comemorações.

Gabarito: C

ANEMIAS

Responda ás seguintes perguntas:

A) O que é a anemia ferropênica ou ferropriva? (0,25 p)
B)  Como a anemia ferropênica ou ferropriva é investigada? (0,25 p)

A) É a conseqüência da diminuição da concentração produção do heme da hemoglobina por carência de ferro, resultando na diminuição da concentração de hemoglobina. (0,15 p)
A deficiência da hemoglobinização durante a maturação dos eritroblastos forma hemácias pequenas (VCM diminuído) com pouco conteúdo de hemoglobina (HCM diminuída). Com a intensificação do processo, ocorre a diminuição desproporcional do conteúdo de hemoglobina em relação ao volume das hemácias, gerando a hipocromia (CHCM diminuída). (0,05 p)
A anisopoiquilocitose, proporcional à intensidade do processo, é sempre evidente, podendo interferir com a contagem de plaquetas: hemácias microcíticas e normocíticas, hemácias ovalocíticas alongadas (leptócitos) e hemácias hipocrômicas. (0,05 p)


B) Pelas quantificações do ferro sérico e ferritina. Raramente, pode ser necessário quantificar o ferro medular pela coloração do azul-da-prússia (coloração de Perls), CTLFe e saturação da transferrina. (0,1 p)

Os exames característicos da anemia ferropênica são:
(1) ferro sérico diminuído; (0,03 p)
(2) capacidade total de ligação de ferro (CTLFe) aumentada; (0,03 p)
(3) saturação de transferrina diminuída; (0,03 p)
(4) ferritina diminuída; (0,03 p)
(5) ferro medular diminuído, tanto nos grânulos de hemossiderina dos macrófagos, quanto nos grânulos sideróticos dos eritroblastos (sideroblastos diminuídos). (0,03 p)

MISODOR - ANEMIA FERROPRIVA


Homem pardo de 40 anos chega à Unidade de Pronto Atendimento - UPA relatando vômitos de sangue vermelho vivo, mal-estar no abdome e evacuação pastosa preta como piche, há cerca de 1 hora. O vômito aconteceu 2 vezes seguidas, persistindo a náusea. Canavieiro, relata antecedentes de banhos de rio desde a infância, bebe uma dose de cachaça no final do dia, quase diariamente. Aos sábados, mais de uma dose. Há duas semanas, vem em uso de Alivium (Ibuprofeno) uma a duas vezes por dia, devido à lombalgia. Ao exame inicial, palidez +/4, ritmo cardíaco regular com 104bpm e PA-90/60mmHg, abdome indolor com fígado aflorando reborda costal 2cm na inspiração, baço impalpável.

1) Definição e conceito da hemorragia digestiva alta. (0,1 p)

2) Enumeram pelo menos 5 etiologias distintas de hemorragia digestiva alta. (0,2 p)

3) No caso acíma quais serão os indicativos de mau prognóstico? (0,2 p)

 

1) Hemorragia digestiva alta é a hemorragia ocasionada por lesão no trato digestivo acima do ângulo de Treitz. (0,1 p)

2) Qualquer combinação de 5 etiologias abaixo vai ser considerada correta: (0,2 p)

  • Úlcera péptica ( +/ - 50% dos casos ) incidência que vem diminuindo, com mortalidade de +/- 6% dos casos. Como precipitantes principais, pode se considerar o uso de anti-inflamatórios não esteroides(AINE), inclusive a aspirina e o etilismo;
  • Hipertensão portal (HP) com varizes do esôfago e/ou gastropatia porto-hipertensiva ( +/- 5 a 40% dos casos) e mortalidade de +/- 15% dos casos; são causadas por hepatopatias crônicas, como a cirrose; no nosso meio, a esquistossomose contribui para essa incidência;
  • Síndrome de Mallory-Weiss mais frequente nos casos de etilismo intenso e vômitos incoercíveis ( +/-5 a 10% dos casos);
  • Gastrite provocada por uso de AINE, etilismo e estresse das doenças graves;
  • Esofagite (raro) por doença do refluxo gastro-esofágico;
  • Doenças vasculares: angiodisplasia (hereditária, síndrome CREST, doença renal crônica, etc.), lesão de Dieulafoy (artéria calibrosa submucosa no estômago proximal – anomalia vascular) fístulas aorto-entéricas (aneurisma da aorta abdominal ou complicação de sua correção cirúrgica);
  • Tumores benignos (pólipos- raramente) e malignos (neoplasia);
  • Hemobilia;
  • Doenças hemorrágicas.

3) São indicativos de mau prognóstico nessa avaliação inicial: (0,2 p)

  • idade maior que 60 anos,
  • co-morbidades (tais como doença hepática avançada, cardiopatia isquêmica, insuficiência cardíaca)
  • FC > 100bpm
  • PA < 100mmHg
  • aspirado gástrico de sangue vivo e sangue vivo no toque retal.