HISTAMINA

Ações terapêuticas.

Agente de diagnóstico da função gástrica.

Propriedades.

Trata-se de uma amina de baixo peso molecular. Estimula a secreção das glândulas gástricas e produz um aumento na secreção de sucos gástricos de acidez elevada pela ação direta sobre as células glandulares principais e parietais. Atua de forma direta sobre os vasos sangüíneos para dilatar artérias e capilares. Aumenta a velocidade e a força da contração do miocárdio, tende a fazer a condução A-V mais lenta e, em grandes concentrações, pode provocar arritmias. Também tem um efeito estimulante sobre as células da medula suprarrenal, o que provoca a liberação de epinefrina e norepinefrina. Atua de forma direta sobre o músculo liso produzindo contração se forem ativados os receptores H 1, e relaxamento se forem ativados os receptores H 2; por isso, a broncoconstrição é mais pronunciada em pacientes com asma brônquica, enfisema ou bronquite. Absorve-se com facilidade após a administração parenteral e difunde-se de forma rápida nos tecidos corporais. Metaboliza-se no fígado por metilação ou oxidação. Os metabólitos produzidos não têm uma atividade farmacológica significativa. A duração da ação é passageira e é eliminada por via renal.

Indicações.

Agente de diagnóstico para avaliação da função secretora ácida gástrica. A falta de acidez (acloridria) em resposta à histamina pode indicar anemia perniciosa, gastrite atrófica ou carcinoma gástrico. A hipersecreção em resposta à histamina pode indicar úlcera duodenal ou síndrome de Zollinger-Ellison.

Posologia.

Alimentos não devem ser ingeridos 12 horas antes do teste com histamina. A velocidade do pulso e a pressão arterial devem ser determinadas de forma imediata após a injeção de histamina. Adultos: 0,01mg/kg administrados após recolhida a secreção gástrica basal. A dose para crianças não foi estabelecida.

Reações adversas.

São de incidência mais freqüente: tonturas (hipotensão), taquicardia, palpitações, cefaléias e nervosismo. Com doses elevadas, podem aparecer visão turva, diarréia grave, hipotensão grave, dispnéia ou vômitos.

Precauções.

Não foram descritos problemas durante a gravidez, lactação, em crianças, nem em pacientes de idade avançada. É importante não engolir saliva durante o teste.

Interações.

Pode haver interferências no diagnóstico devido a outras medicações. A administração de antiácidos na mesma manhã do teste pode diminuir o efeito total da histamina sobre a acidez e a secreção gástrica. Os medicamentos antimuscarínicos, cimetidina, famotidina ou ranitidina podem antagonizar o efeito da histamina.

Contra-indicações.

Doença cardíaca grave, hipertensão grave, hipotensão, disfunção renal grave, antecedentes de doença brônquica. A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de feocromocitoma e anormalidades cardíacas.