MONITOR DE QUESTÕES

VERIFIQUE RAPIDO SEUS CONHECIMENTOS!

 

VOLTAR

SAIR

Conteudo programatico: EPÓNIMOS

5252. A tríade de Meltzer é definida pela existência de:

A. abafamento das bulhas cardíacas, hipotensão arterial e distensão das veias do pescoço
B. hipertensão arterial sistêmica, bradicardia, alterações do ritmo respiratório
C. púrpura, artralgia e fraqueza
D. lesão ao endotélio vascular, estase venosa, hipercoagulabilidade
E. sintomas adrenérgicos/neuroglicopênicos, associados à glicemia diminuída, reversão com administração de glicose

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5251. A síndrome de ativação macrofágica (SAM) ou síndrome hemofagocítica reativa é uma entidade associada com formas familiares e adquiridas. As formas adquiridas podem ser desencadeadas por infecções, neoplasias, imunodeficiências e doenças reumáticas crônicas. Sobre essa síndrome tem uma afirmação CORRETA abaixo:

A. tem alto risco de mortalidade
B. a forma poliarticular de artrite idiopática juvenil é o principal fator de risco
C. as infecções com coronavirus e Coxiella burnetii são os fatores desencadeantes mais referidas
D. a apresentação clinica e insidiosa até o ponto de desequilíbrio imune, quando surgem adenomegalia e dor articular continua
E. o diagnóstico é feito pela hiper-ferritinemia, que é caracteristica para essa síndrome

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5250. A síndrome de ativação macrofágica tem como principal substrato fisiopatológico:

A. ativação do receptor tirosina-quinase (c-kit) e o SCF stem-cell-factor (também denominado ligante c-kit)
B. ativação e proliferação descontrolada de linfócitos T e macrófagos
C. aumento progressivo de mastócitos e de seus progenitores
D. presença de níveis elevados de triptase no soro
E. vasculite leucocitoclástica com depósitos granulosos de IgA, C3 e fibrinogênio na parede das principais arterias

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5249. A síndrome de ativação macrofágica (SAM) ou síndrome hemofagocítica secundária (reativa) consiste de uma rara, grave e potencialmente fatal complicação das doenças reumáticas crônicas, particularmente da:

(I) artrite idiopática juvenil de início sistêmico
(II) doença de Still do adulto
(III) lúpus eritematoso sistêmico
(IV) febre reumatica
São CORRETAS:

A. apenas I e III
B. apenas II e IV
C. apenas I e IV
D. apenas I, II e III
E. apenas I, II e IV

Conteudo programatico: CASO CLINICO

5248. Paciente do sexo masculino, 11 anos, iniciou quadro de odinofagia, poliartralgia e febre baixa cerca de 30 dias antes de sua internação. Procurou atendimento médico quando se suspeitou de angina bacteriana, tendo sido prescritos sucessivamente amoxacilina, ciprofloxacino e sulfametoxazol-trimetoprim sem melhora clínica. Progressivamente a febre aumentou até picos diários de 39º C, houve piora da prostração, desenvolvimento de linfadenomegalia cervical, palidez cutâneo-mucosa, náusea e anorexia.
A radiografia de tórax foi normal e o ultra-som de abdome demonstrou hepatoesplenomegalia. A tomografia de tórax demonstrou micropoliadenomegalia mediastinal e as tomografias de abdome e pelve revelaram, além da hepatoesplenomegalia, uma micropoliadenomegalia pélvica.
A sorologia pelo ensaio imunoenzimático para o vírus Epstein-Barr foi IgM positiva de 160.00 UI/mL (reativo > 40 UI/mL) confirmando a suspeita de infecção com virus Epstein Barr. A ferritina foi de 29.200,2 ng/mL (normal 20 até 336 ng/mL).
O próximo exame para esclarecimento diagnóstico, neste caso:

A. eletroforese de hemoglobina
B. biópsia de medula óssea
C. desidrogenase lática (DHL)
D. tempo de atividade de protrombina (TAP) e o tempo de tromboplastina parcial (PTT)
E. culturas de sangue e urina

Conteudo programatico: CASO CLINICO

5247. Criança de 8 anos, branca, sexo feminino, admitida no hospital por conta de aparecimento de lesões pruriginosas de cor rosada em face e tronco há dois dias,associado à febre e anorexia. Há um dia a mãe notou que as lesões tornaram-se mais salientes e com formação de pequenas bolhas. Além disso, notou uma expansão das lesões para couro cabeludo e membros. A criança era portadora de artrite idiopática juvenil sistêmica, em tratamento com ciclosporina, methotrexate e infliximabe.

Ao exame físico geral, apresentava-se em regular estado geral; hipoativa; pálida; descorada +/++++; acianótica; anictérica; afebril (T= 36,8° C); hidratada; eupneica; peso = 22 kg; estatura = 120 cm; pele: lesões maculo-papulosas e vesículas com aspecto hemorrágico em tronco, face, couro cabeludo e em membros (superior e inferior); mucosas: vesículas hemorrágicas no palato. Aparelho cardiovascular: bulhas rítmicas hiperfonéticas a dois tempos sem sopros; FC = 100 bpm; PA =118/78 mmHg . Aparelho respiratório: murmúrio vesicular presente bilateralmente sem ruídos adventícios; FR = 20 ipm. Abdômen: globoso, distendido ++/++++, doloroso difusamente à apalpação superficial e profunda, fígado palpável a 5 centímetros do rebordo costal direito, baço percutível e palpável a 7 centímetros do rebordo costal esquerdo, ruídos hidroaéreos positivos.
A suspeita diagnóstica, neste caso, seria:

A. Síndrome de Stevens - Johnson
B. Erupção variceliforme de Kaposi
C. Varicela hemorrágica devido à imunossupressão
D. Síndrome de ativação macrofágica
E. Hiperceratose epidermolítica em mosaico

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5246. Indique as características clinicas da febre de AIJ forma de início sistemico:

A. caracteristicamente aparece de madrugada, acompanhada com dor articular intensa ou cervical
B. não há relação entre a febre e o exantema reumatoide
C. na maioria dos casos é uma febre alta e sem resposta aos antitermicos
D. não muda o estado geral da criança
E. fora dos períodos de febre as alterações costumam desaparecer

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5245. Sobre as manifestações clinicas da artrite idiopática juvenil é CORRETO afirmar que:

(I) a presença da dor articular é sempre a queixa principal e causa da apresentação ao medico
(II) o fenômeno de Koebner é diagnostico para a forma com início sistêmico;
(III) a forma pauciarticular tem predisposição para as articulações dos ombros e cotovelos;
(IV) na forma poliarticular, até 40 articulações podem ser acometidas, incluindo a articulação temporo-mandibular

A. todas as afirmações são corretas
B. há apenas uma afirmação correta
C. há duas afirmações corretas
D. há três afirmações corretas
E. nenhuma das afirmações não é correta

Conteudo programatico: EPÓNIMOS

5244. O fenômeno de Koebner, que é uma hipersensibilidade cutânea a traumas superficiais, sendo desencadeado pelo leve roçar da unha do examinador ao longo da pele não-envolvida, é presente no quadro clinico do(s)/da(s):

A. eritema variceliforme do Kaposi, na fase vesicular
B. artrite idiopática juvenil de início sistêmico e psoríase
C. síndrome de mão-pé-boca e escarlatina
D. lupus eritematoso discoide e doença de Behçet
E. hanseníase tratada com dapsona

Conteudo programatico: REUMATOLOGIA

5243. Qual das seguintes formas de início com acometimento articular é menos provável na artrite idiopática juvenil:

A. acometimento dos joelhos
B. acometimentos dos cotovelos
C. acometimento dos tornozelos
D. acometimento do quadril
E. acometimento dos ombros

QUESTÕES DOS COLABORADORES

Conteudo programatico:  CANCER DE OVARIO

AUTOR:           GUILLERMO

5046: PACIENTE DE 52 ANOS FOI DIAGNOSTICADA DE CARCINOMA DE OVARIO SEROSO , INOPERAVEL PELA EXTENÇÃO ABDOMINAL MACIÇA. 
A CONDUTA MAIS ADEQÜADA É:  
                                            A) CUIDADOS PALIATIVOS
                                            B) RADIOTERAPIA ABDOMINAL
                                            C) QUIMIOTERAPIA
                                            D) PROGESTÁGENOS
                                            E) ANTIESTRÓGENOS 

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5044:

Paciente do sexo masculino, 43 anos, apresenta quadro de infiltrações nas orelhas externas, madarose, ressecamento da pele e dos membros, dor articular, espessamento no nervo ulnar  e astenia. Mitsuda negativo. A classificação e a forma de tratamento desse hanseníase estão corretamente associadas na seguinte opção de resposta:

a) poliquimioterapia multibacilar ------- forma virchowiana.
b) poliquimioterapia paucibacilar ------- forma dimorfa.
c) poliquimioterapia paucibacilar ------- forma virchowiana.
d) poliquimioterapia multibacilar ------- forma dimorfa.
e) poliquimioterapia multibacilar ------- forma tuberculoide.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5043:

Paciente do sexo masculino apresenta lesões de pele sugestivas de hanseníase multibacilar (MB). Em nenhum dos comunicantes intradomiciliares foi diagnosticada hanseníase. A alternativa que melhor corresponde à medida profilática adequada para os comunicantes é:

a) observação dos comunicantes, sem nenhuma medida adicional.
b) quimioprofilaxia com rifampicina por dois dias.
c) quimioprofilaxia com dapsona por 6 meses.
d) vacinação com BCG para os comunicantes menores de 5 anos.
e) vacinação com BCG para todos os comunicantes.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5042:

Você recebe em seu consultório uma mulher de 30 anos, residente em Fortaleza-CE, no 4° mês de tratamento de Hanseníase Virchowiana, que desenvolveu nódulos eritematosos, dolorosos no tronco, face e membros superiores há 3 dias. A melhor conduta é:

a) suspender o tratamento, pois trata-se de reação alérgica à clofazimina.
b) suspender apenas a dapsona e iniciar terapia com anti-histamínicos.
c) suspender o tratamento e inicar terapia com talidomida, de 100 a 400 mg/dia, até a resolução do quadro e, então, reiniciar o tratamento específico.
d) manter o tratamento e iniciar predinosa, de 1 a 2 mg/kg/dia.
e) manter o tramento e iniciar terapia com talidomida nas doses recomendadas.

Conteudo programatico:  HANSENIASE

AUTOR:           DANIEL

5041:

Considere o seguinte quadro:
Paciente, apresenta lesões eritemato-infiltradas, anestésicas, duas em face e três no tronco. O teste de Mitsuda foi positivo 28 dias após a injeção intradérmica. Clinicamente, considerou-se o diagnóstico de Hanseníase.
Em relação a esse caso, assinale a alternativa INCORRETA:

a) A forma tuberculóide apresenta placas bem delimitadas com raros bacilos.
b) As formas boderline/dimorfa apresentam distribuição assimétrica das lesões cutâneas e dos nervos envolvidos.
c) A forma virchowiana/lepromatosa acomete difusamente a pele, tendo se infiltrado com histiócitos espumosos ricos em bacilos.
d) Pacientes paucibacilares são geralmente Mitsuda positivos.
e) Eritema Nodoso Hansênico é uma reação comum aos paciente de hanseníase quando iniciam o tratamento, independente da sua forma clínica. 

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5040: O uso profilático de AZT injetável no pré-parto, segundo ACTG 076, reduz a transmissão vertical em:

a) 10%
b) 17%
c) 25%
d) 67%
e) 85%

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5039: Em relação à transmissão vertical do HIV, é correto afirmar:

a) A cesariana eletiva reduz pela metade a transmissão vertical do HIV, quando comparada com a cesariana realizada depois do inicio do trabalho de parto.
b) O aleitamento materno não é contra-indicado se a contagem de linfócitos T-CD4 for maior que 500 células/mm3.
c) Com carga viral abaixo de 10.000 cópias/ml, a via de parto será indicada por critérios obstétricos.
d) O uso de zidovudina intravenosa deve ser iniciado uma hora antes do parto.
e) A episiotomia não tem relação com o risco de transmissão vertical do HIV.

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5038: Gestante, 26 anos de idade, G2P0A1, 34 semanas de idade gestacional, foi encaminhada da Unidade Básica de Saúde com diagnóstico comprovado de infecção com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), assintomática.
Sobre a utilização de anti-retrovirais para esta paciente, qual a alternativa CORRETA:

a) aguardar o resultado da carga viral para definir qual esquema anti-retroviral será utilizado.
b) Iniciar com inibidores da transcriptase reversa (zidovudina + lamivudina) e inibidor de protease (nelfinavir).
c) Iniciar com inibidores da transcriptase reversa ( zidovudina + efavirenz) e inibidor de protease (nelfinavir).
d) Iniciar com zidovudina e aguardar o resultado da carga viral para ajuste da dose.
e) Nenhum anti-retroviral, pois devemos interromper imediatamente a gravidez para diminuir o risco de transmissão vertical do HIV.

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5037: Gestante no curso da 10a semana apresenta quadro clínico de AIDS com tuberculose pulmonar. A contagem de linfócitos T-CD4 é de 400 células/ml e se pretende usar a rifampicina para o tratamento da tuberculose. A melhor opção para o tratamento da AIDS, neste caso, é:

a) Monoterapia de imediato com zidovudina (AZT).
b) Terapia dupla (zidovudina + lamivudina).
c) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + nelfinavir).
d) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + abacavir).
e) Terapia tripla (zidovudina + lamivudina + hidroxiuréia).

Conteudo programatico:  A. I. D. S.

AUTOR:           DANIEL

5036: Em relação ao manejo de paciente gestante HIV positivo, são recomendações do Ministério da Saúde, EXCETO:

a) O uso de profilaxia com anti-retrovirais deve ser iniciado a partir da 14a semana de gestação e continuar durante o trabalho de parto e parto até o clampeamento do cordão.
b) Em relação aos critérios de escolha da via de parto, recomenda-se o parto por operação cesariana eletiva se a paciente apresentar carga viral inferior a 1.000 cópias/ml ou indetectável ou estiver com idade gestacional maior ou igual a 34 semanas.
c) No parto vaginal, a episiotomia deve ser evitada sempre que possível e deve-se manter a bolsa íntegra até o período expulsivo.
d) Não há necessidade de se isolar a mulher HIV positivo.
e) Realizar o clampeamento do cordão imediatamente após a saída do recém-nascido.

 

VOLTAR
SAIR