MONITOR DE QUESTÕES

VERIFIQUE RAPIDO SEUS CONHECIMENTOS!

 

VOLTAR

SAIR

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5829. O transtorno de espectro autista:

A. não é considerado, legalmente, uma deficiência
B. é considerado um transtorno de desenvolvimento
C. é considerado uma doença rara
D. na maioria dos casos tem o diagnostico firmado somente depois de 1 ano de idade
E. tem como tratamento de primeira escolha os inibidores seletivos da recaptação da serotonina

Conteudo programatico: CASO CLINICO

5828. Uma paciente do sexo feminino de 45 anos foi atendida no consultório com queixa de dor na região anterior do quadril esquerdo há duas semanas, sem trauma inicial, febre ou doenças concomitantes. Ao exame clínico apresentava dor à palpação da região inguinal esquerda que piorava à extensão do quadril. Não apresentava sinais flogísticos locais ou sinais sistêmicos de infecção. O exame radiográfico ântero-posterior e batráquio das coxo-femorais mostrou leve redução do espaço superior bilateralmente com esclerose subcondral. O US dos quadris apresentou, na topografia da bolsa iliopectínea esquerda, imagem arredondada anecoica de paredes finas inferiormente aos vasos femorais comuns, em correspondência com a região álgica referida pela paciente.
Indique o diagnóstico mais provável:

A. apendicite
B. hérnia femoral
C. pseudoaneurisma da artéria femoral
D. bursite iliopectínea
E. síndrome neuromiofascial

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5827. Consideram as seguintes afirmações sobre o transtorno de espectro autista:

A. o início dos sinais geralmente acontece com 6 meses de idade
B. na medida que a linguagem se desenvolve os pais começam a ficar preocupados com os defeitos foneticos
C. em até um quarto dos casos os pais relatam perda de habilidades verbais ou falta de evolução do mesmo
D. as crianças com transtorno autista preferem símbolos da fala, sarcasmo ou humor voluntario ou não para se comunicar
E. os pacientes impõem frequentemente alterações e variações na rotina, o que causa muito sofrimento por parte da familia

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5826. Muitas das crianças com transtorno de espectro autista que apresentam linguagem verbal repetem frases ouvidas há horas, ou até mesmo dias antes. Esse fenômeno é chamado de:

A. bradilalia
B. estereotipia verbal
C. ecolalia tardia
D. ambiguidade fonetica
E. fonoestereotipia

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5825. Sobre a escala Modified Checklist for Autism in Toddlers, Revised with Follow-Up (M-CHAT R/F) - a principal escala de triagem das crianças recomendada pela Sociedade Brasileira de Pediatria e a Academia Americana de Pediatria - podemos afirmar:

A. tem dois estágios para avaliar o risco de TEA em crianças entre 16 e 30 meses de idade
B. contém um questionário de 10 itens com resposta sim / não, para o relatório dos pais
C. é uma escala de aplicação fácil, porém tem direitos autoriais e inaccessível
D. é um screening de segundo estágio, sendo usado para melhorar a triagem em alguns programas
E. a avaliação consta numa sessão com 20 minutos de duração, durante a qual são observadas 12 atividades em quatro domínios

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5824. Nas crianças e adultos com Síndrome de Asperger utilizam-se rotineiramente os seguintes fármacos específicos:

A. não necessitam, pois não existem fármacos específicos para esta desordem
B. risperidona e carbamazepina
C. carbonato de lítio e risperidona
D. clomipramina e clopromazina
E. ritalina e risperidona

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5823. A síndrome de Asperger caracteriza-se por:

(I) prejuízos na interação social
(II) interesses e comportamentos limitados
(III) retardo clinicamente significativo na linguagem falada
(IV) retardo clinicamente significativo na percepção da linguagem
(V) retardo clinicamente significativo no desenvolvimento cognitivo
(VI) retardo clinicamente significativo nas habilidades de autocuidado
(VII) retardo clinicamente significativo na curiosidade sobre o ambiente
São CORRETAS:

A. I. e II
B. I, III, IV e VII
C. IV, V e VII
D. I, II, III e VI
E. apenas VI

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5822. São características que mais evidenciam o indivíduo com a Síndrome de Asperger:

A. distúrbios graves de memória ou hipermnesia
B. contato visual ausente
C. interesses específicos, restritos e não usuais
D. atraso no aparecimento da fala
E. dislexia severa e atraso de escrita

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5821. Indivíduos com Sindrome de Asperger podem ter um histórico de aquisição atrasada das seguintes habilidades:

A. acumular uma grande quantidade de informações factuais sobre um tópico
B. andar de bicicleta, agarrar uma bola, abrir garrafas e subir em brinquedos de parquinho ao ar livre
C. níveis altos de atividade na infância precoce
D. formular rapidamente proposições e aumentar o volume da voz
E. falar sobre um assunto favorito

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5820. Geralmente o paciente com autismo demanda tratamento psicofarmacológico para controle de sintomas associados ao quadro, quando estes interferem negativamente na sua qualidade de vida. Os seguintes remédios são utilizados, EXCETO:

A. aripiprazol
B. ziprasidona
C. carbonato de lítio
D. olanzapina
E. risperidona

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5819. As anormalidades na linguagem em indivíduos com Síndrome de Asperger seguem os seguintes aspectos nos padrões de comunicação, EXCETO:

A. velocidade da fala pode ser incomum (fala muito rápida)
B. falta de fluência (fala entrecortada)
C. voz muito alta, apesar da proximidade física do parceiro da conversação
D. falta de ajustamento da voz ao ambiente social em questão (biblioteca, em uma multidão barulhenta)
E. ecolalia, repetição continua e por muito tempo duma palavra ou expressão

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5818. As crianças com síndrome de Asperger apresentam como característica:

A. altruísmo excessivo, tendência a pensar muito pouco em si mesmo
B. lentificação do ritmo occipital dominante na eletroencefalograma
C. precisam de auxilio quando entram na vida profissional
D. há retardo significativo na linguagem falada ou na percepção da linguagem
E. são socialmente isolados, sentindo-se fortemente inibidos na presença de outros

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5817. Entre as várias escalas que podem ser usadas no rastreio para triagem do Transtono de Espectro Autista, a Sociedade Brasileira de Pediatria orienta o pediatra ao uso do instrumento de triagem:

A. GARS (Gilliam Autism Rating ScaleSecond Edition)
B. ADI-R (Autism Diagnostic Interview™ Revised)
C. Modified Checklist for Autism in Toddlers (M-CHAT-R)
D. Childhood Autism Rating Scale (CARS)
E. ADOS-G (The ADOS™ - Generic)

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5816. Consideram as seguintes afirmações e indiquem a CORRETA:

A. O transtorno de espectro autista é mais frequente na raça caucasiana
B. Sua prevalência é igual entre os sexos
C. Associa excepcionalmente deficiência mental ou motora
D. Não se comprovou a causalidade dos fatores ambientais na patogênese do transtorno de espectro autista
E. A Síndrome de Asperger é considerado uma forma de transtorno de espectro autista

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5815. Fatores que caracterizam os principais comportamentos observados em crianças com transtorno de espectro autista:

A. tônus muscular aumentado e força muscular incomum para a idade ("eu carrego, eu sou forte, eu consigo")
B. irresponsividade ao toque, tendência de escalar objetivos com altura ou se machucar com objetos em movimentação
C. falta de seletividade alimentar, ingerem qualquer coisa que lhe está oferecido, ás vezes até terra ou objetos
D. excessiva concentração e foco em algumas tarefas, indiferente das modificações e dos fatores perturbadores do meio ambiente
E. hiporresponsividade - não responde quando o nome é chamado, apesar da audição estar boa; parece não ouvir o que lhe é dito

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5814. Sobre o manejo dos pacientes com suspeita de transtorno de espectro autista é CORRETO afirmar que:

A. O transtorno de espectro autista não demonstra sinais sugestivos antes de 12 meses de idade
B. Toda a criança precisa ser triada para o transtorno de espectro autista entre 3 e 5 anos de idade, mesmo que não tenha sinais
C. O uso do instrumento de triagem Modifield Checklist fo Autism in Toddlers (M-CHAT) serve tanto para o diagnóstico quanto para a análise global do neurodesenvolvimento.
D. Os resultados das intervenções sobre as alterações do transtorno de espectro autista são melhores quanto mais cedo forem reconhecidas
E. É mandatorio realizar diagnostico diferencial do transtorno de espectro autista com os efeitos da exposição durante a gestação à ácido valproico, DDT, bifenilospoliclorados (PCB-s), chumbo e mercúrio inorgânico

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5813. São sinais sugestivos de autismo no primeiro ano de vida, EXCETO:

A. não se voltar para sons, ruídos e vozes no ambiente
B. baixo contato ocular e deficiência no olhar sustentado
C. demonstrar maior interesse por objetos do que por pessoas
D. não aceitar o toque
E. falta de reação aos sons altos

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5812. No exame clinico geral da criança com transtorno de espectro autista são importantes, entre os achados, se existem:

A. lesões hiper ou hipopigmentadas
B. titulo aumentado de ácido vanil-mandélico na urina de 24 horas
C. microcefalia
D. obesidade e agenesia ou ambiguidade sexual
E. dismorfismos faciais graves, fenda palatina, mosaicismo

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5811. As síndromes genêticas mais associadas ao transtorno de espectro autista são:

(I) Síndrome do X Frágil
(II) Esclerose Tuberosa
(III) Síndrome de Williams
(IV) Síndrome de Rhett
São CORRETAS:

A. I e IV
B. II, III e IV
C. apenas I
D. II e IV
E. I, II e III

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5810. A deficiência intelectual (DI) é diferente do transtorno de espectro autista pela seguinte característica:

A. costuma se manifestar após um período normal de desenvolvimento e apresenta também delírios e alucinações inexistentes no TEA
B. as estereotipias se apresentam como movimentos mais complexos que se destinam a aplacar a ansiedade resultante do pensamento obsessivo
C. em ambientes confortáveis, seguras e mais adequados a comunicação social e a sociabilização são normais
D. não vem acompanhada de gestos e nem de comportamentos repetitivos
E. a comunicação com a idade tende a melhorar com o tempo

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5809. O diagnóstico definitivo de transtorno de espectro autista ocorre, em média, aos 4 ou 5 anos de idade. Essa situação é lamentável, tendo em vista que:

A. há dificuldade em diferenciar uma criança autista de uma com deficiência auditiva
B. os comportamentos repetitivos somem em volta de dois anos de idade, o que muitas vezes apresenta a perda de informações importantes
C. o risco de deficiência intelectual permanente é maior nas crianças com início tardío do tratamento da estimulação
D. transtornos psiquiátricos (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade, depressão e ansiedade) aparecem quando o diagnóstico é feito tardiamente
E. a intervenção precoce está associada a ganhos significativos no funcionamento cognitivo e adaptativo da criança

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5808. As crianças que mais tarde recebem o diagnóstico de TEA distinguem-se claramente daquelas que continuam a desenvolver-se tipicamente começando com:

A. 3 meses
B. 6 meses
C. 9 meses
D. 12 meses
E. 15 meses

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5807. Sobre o transtorno de espectro autista podemos afirmar que:

A. É mais frequente no sexo feminino
B. O desenvolvimento precoce não costuma ser acometido
C. A comunicação não verbal anormal levanta questões de diagnóstico diferencial complicadas com o transtorno especifico da linguagem
D. Pessoas com deficiência intelectual podem ser diagnosticadas como autistas se a comunicação e a interação sociais estão significativamente prejudicadas
E. A característica essencial é um padrão persistente de desatenção e/ou hiperatividade-impulsividade que interfere no funcionamento ou no desenvolvimento

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5806. Sobre o transtorno de espectro autista (TEA) é CORRETO afirmar:

A. identificar crianças em risco de TEA é só a competência do neuropediatra, a partir da suspeita
B. os defeitos de linguagem e de cognição que causam anormalidades na interação social são definitórias para autismo
C. na suspeita é importante ser revista uma história familiar de três gerações
D. a grande maioria das crianças com TEA apresentam microcefalia
E. há varias escalas e ferramentas de diagnostico com aplicabilidade no diagnóstico clinico que podem ser utilizadas inclusive pelo clinico geral

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5805. Sobre as estratégias terapêuticas referente á transtorno de espectro autista é ERRADA a afirmação:

A. o tratamento deve ser individualizado
B. a cura com a melhora das incapacidades é mais provável a ser alcançada quando iniciada o mais cedo possível
C. se concentra em intervenções comportamentais e educacionais
D. a farmacoterapia do autismo não trata os déficits centrais
E. as terapias complementares e alternativas tem boa aplicabilidade

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5804. Crianças com autismo não costumam ser diagnosticadas antes dos:

A. 7-10 anos
B. 10-12 anos
C. 3-4 anos
D. 2 anos
E. 15-18 anos

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5803. A hemograma do paciente com coqueluche em fase paroxística geralmente apresenta:

A. trombocitopenia e anemia com linfocitose
B. leucopenia severa com linfocitose
C. leucocitose ás vezes até 30.000 com linfocitose
D. na maioria dos casos é normal ou a´presenta uma leve linfocitose
E. leucocitose e linfopenia com forte desvio para esquerda

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5802. O padrão-ouro para o diagnóstico da coqueluche é:

A. o raio-X de tórax com imagem de coração borrado (felpudo)
B. a presença de leucocitose acima de 20.000 células/mm3, com linfocitose
C. a cultura da secreção de nasofaringe positiva para Bordetella pertussis
D. a presença de tosse por pelo menos 14 dias, associada a paroxismo, guincho
E. nenhum dos acima, o diagnóstico de coqueluche é eminentemente clinico

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5801. Diminuem o número e a intensidade dos acessos paroxísticos em caso de coqueluche com evolução severa:

A. hidrocortisona 30 mg/kg/dia IM, 6/6 h por 2 dias
B. fenobarbital: ataque com 15 mg/kg/dose 1 x /dia e manutenção com 6 mg/kg/dia 6/6 h
C. acetilcisteina 70 mg/kg de peso corpóreo a cada 4 horas, por 1-3 dias
D. cloridrato de oxomemazina 40 mg/kg via e. v.
E. guaifenesina 6 mg/kg via oral

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5800. O antibiótico de primeira escolha em caso de coqueluche acima de 2 meses de idade é:

A. estolato de eritromicina 40 - 50 mg/kg/dia por via oral a cada 6 horas
B. estearato de eritromicina 40 - 50 mg/kg/dia por via oral a cada 6 horas
C. etilsuccinato de eritromicina 40 - 50 mg/kg/dia por via oral a cada 6 horas
D. sulfametoxazol + trimetoprima 8 mg/kg/dia por 7 dias
E. ampicilina 25 mg/kg de 6/6 horas

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5799. O isolamento respiratório do paciente com coqueluche é necessário até:

A. não é necessário
B. dois dias após o início do tratamento com antibiótico
C. três dias após o início do tratamento com antibiótico
D. quatro dias após o início do tratamento com antibiótico
E. cinco dias após o início do tratamento com antibiótico

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5798. O indivíduo é considerado adequadamente vacinado contra o coqueluche se recebeu:

A. uma dose a partir de 2 meses de idade e um reforço após 6 meses da ultima dose
B. duas doses a partir de 4 meses de idade e um reforço após 5 anos da ultima dose
C. seis doses a partir de 2 meses de idade e um reforço após 2 anos da ultima dose
D. três doses a partir de 2 meses de idade e um reforço após 6 a 12 meses da ultima dose
E. uma dose no nascimento, duas doses com 2 e respectivamente 4 meses de idade e um reforço após 6 a 12 meses da terceira dose

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5797. Sobre a susceptibilidade da infecção com Bordetella pertussis é CORRETA a afirmação:

A. 5 a 10 anos após a última imunização a imunidade contra a coqueluche está geralmente perdida
B. a melhor imunidade adquirida é através da doença, durando, praticamente, toda a vida
C. a imunidade transplacentaria é efetiva somente nos primeiros 6 meses de vida
D. a fonte de colonização mais frequente para crianças é a própria mãe, no momento do parto
E. o aleitamento materno foi comprovadamente definido como um fator de proteção contra a coqueluche

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5796. A coqueluche, doença infecciosa aguda altamente transmissível é uma doença respiratória imunoprevenível de:

A. notificação compulsória nacional
B. notificação nacional, somente em surtos
C. notificação municipal obrigatoria
D. notificação estadual obrigatoria
E. não é uma doença notificável

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5795. Para diminuir o número de casos de coqueluche nos lactentes jovens o Ministério da Saúde recomenda Vacina Tríplice Acelular Tipo Adulto para gestantes, preferencialmente:

A. após a 20ª semana de gestação
B. na primeira visita de pré-natal
C. depois da 36ª semana de gestação
D. antes de 28 semanas de gestação
E. imediatamente depois o parto

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5794. Principais sinais de alarme para quadros graves de coqueluche:

(1) Taquipnéia com frequência respiratória acima de 60 movimentos respiratórios por minuto;
(2) Frequência cardíaca acíma de 150 batimentos / minuto;
(3) Contagem de leucócitos baixo de 5000 células/mm3
(4) Hipóxia persistente após paroxismos;
São CORRETAMENTE descritas:

A. 1 e 3
B. 2 e 4
C. 1 e 4
D. 2 e 3
E. 3 e 4

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5793. Sobre o tratamento do coqueluche podemos afirmar que:

A. a resistência aos macrolídios está aumentando nas ultimas décadas
B. a administração de antibióticos modifica obviamente o curso da doença
C. pelo risco de desenvolver estenose hipertrófica de piloro não se usa azitromicina no tratamento de crianças e adolescentes
D. corticoides e salbutamol são frequentemente utilizados com bons resultados para aliviar as crises paroxísticas
E. todas as alternativas são falsas

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5792. O diagnóstico específico da coqueluche é realizado mediante o:

A. isolamento e detecção de antígenos
B. técnica de reação em cadeia da polimerase (PCR) em tempo real
C. testes sorológicos adequados e padronizados
D. teste ELISA
E. imunofluorescência direta

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5791. Tosse comprida ou tosse convulsa é o sinônimo da:

A. bronquiolite
B. asma
C. enfisema senil
D. coqueluche
E. tuberculose

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5790. A coqueluche pode manifestar-se sob formas atípicas, com tosse persistente, porém, sem paroxismos, sem guincho característico e sem vômito pós-tosse. Essas formas aparecem frequentemente em:

A. mulheres no último mês de gestação ou puérperas já vacinadas
B. paciente infectados com Bordetella bronchiseptica e a Bordetella avium
C. indivíduos vacinados há menos de 1 ano
D. lactentes jovens (principalmente os menores de 6 meses)
E. indivíduos não adequadamente vacinados

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5789. As características das crises de tosse do coqueluche geralmente NÃO incluem:

A. hemoptise
B. som denominado de “guincho"
C. cinco a dez tossidas em uma única expiração
D. protrusão da língua durante as crises
E. até trinta episódios de tosse paroxística em 24 horas

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5788. Na primeira fase (catarral) da coqueluche:

A. quase nunca tem febre, somente manifestações atípicas como coriza e espirros
B. as crises de tosse são súbitas, incontroláveis, rápidas e curtas, com cerca de cinco a dez tossidas em uma única expiração
C. o paciente apresenta inspiração profunda através da glote estreitada, podendo originar o som denominado de “guincho”, que pode ser continuo
D. a febre pouco intensa, o mal-estar geral, coriza e tosse seca têm duração de uma a duas semanas
E. caracteristicamente, ocorrem hemorragias conjuntivais

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5787. Relativo ás manifestações clinicas da coqueluche é CORRETO:

A. A fase catarral – tem duração de uma a 5 dias
B. A fase catarral geralmente evolui com febre muito alta e continua
C. A fase paroxística e chamada assim pelas manifestações típicas (paroxismos de tosse)
D. Na fase de convalescença as crises de tosse paroxística com guincho migram para o período noturno
E. O som da tosse paroxística denominado de “guincho” é causado pelo colapso da traqueia

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5786. A(s) síndrome(s) genética(s) associada(s) em 10-20% dos casos com o transtorno de espectro autista são:

(I) duplicação do cromossomo 15q
(II) deleção de parte do braço curto do cromossomo 4
(III) a síndrome do X frágil
(IV) aneuploidia de três cópias do cromossomo 22
(V) baixa estatura, defeitos na pituitária e cerebelar

A. I, III, IV e V
B. II e III
C. I e III
D. II e IV
E. todas

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5785. Os transtornos do espectro autista são relativamente comuns, ocorrendo em aproximadamente:

A. uma em cada 100.000 crianças
B. 1 em cada 10.000 crianças
C. 1 em cada 1000 crianças
D. 1 em cada 500 crianças
E. uma em cada 88 crianças

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5784. O transtorno de espectro autista é atualmente considerado:

A. uma psicose
B. uma síndrome comportamental, com etiologia orgânica e curso de um transtorno do desenvolvimento
C. uma deficiência mental
D. uma doença genética cromossomial
E. um distúrbio do desenvolvimento

Conteudo programatico: TRANSTORNO DE ESPECTRO AUTISTA

5783. Conforme a definição estipulada pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - DSM-5 o transtorno de espectro autista tem como critérios diagnósticos basicos:

A. Comunicação social e interação social atrasada
B. Padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses ou atividades
C. Surgimento dos sintomas na segunda infância, sendo praticamente imperceptíveis antes de 5 anos de idade
D. Funcionamento social, profissional ou em outras áreas importantes da vida com desempenho normal ou eventualmente levemente alterado
E. Deficiência intelectual (transtorno do desenvolvimento intelectual) e atraso global do desenvolvimento

Conteudo programatico: ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS E LAGARTAS

5782. Sobre a aranha-de-jardim (gênero Lycosa) é CORRETO afirmar que:

A. Os acidentes são frequentes e se acompanham de reações sistêmicas importantes
B. O acidente necessita de tratamento com soroterapia, de preferência nas primeiras 48 horas
C. A ação do veneno é fraca, sem consequências graves ou intoxicação nervosa ou circulatória.
D. A espécie é agressiva e ataca as vezes para defender as teias ou os filhotes
E. Popularmente, pode ser também chamada de "viuva-negra"

Conteudo programatico: ACIDENTES COM ANIMAIS PEÇONHENTOS E LAGARTAS

5781. As alterações bioquímicas encontradas no acidente com Latrodectus (viúva-negra) são:

A. acidose metabólica e hipercalemia
B. hipocalcemia e hipoglicemia
C. hiperglicemia e hiperfosfatemia
D. amilasemia e bilirrubinemia alta
E. mioglobinuria e hipocalcemia

Conteudo programatico: COQUELUCHE

5780. A coqueluche evolui em três fases sucessivas:

A. catarral, paroxística e de convalescença
B. secretiva, expulsiva e de regressão
C. tussígena, sistêmica e séptica
D. aguda, subaguda e crônica
E. tussígena, emetizante e paroxística

 

VOLTAR
SAIR