SIMULADO 16

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

1) Pacientes com quadro de sepse grave e choque séptico devem receber reanimação precoce (nas 6 primeiras horas) com expansão volêmica e transfusão e drogas vasoativas. Qual parâmetro que deve servir de guia para essa terapêutica?

A) Saturação venosa de hemoglobina de veia cava superior

B) Lactato arterial

C) Diurese

D) Pressão arterial média

E) Freqüência cardíaca

 

2) Com relação ao AVC (Acidente Vascular Cerebral) assinale a resposta INCORRETA:

A) a maioria dos casos de AVC isquêmico de origem embólica acontece em território de artéria cerebral média

B) ressonância é um exame de sensibilidade e especificidade menores que a tomografia na urgência, por esse motivo não é preconizada

C) casos de AVC candidatos à terapia trombolítica endovenosa devem ter no máximo 3 horas entre o início da terapêutica e o surgimento dos primeiros sintomas

D) A melhora significativa dos déficits neurológicos antes da terapia trombolítica contra-indica esse procedimento

E) Gestantes não devem receber terapia trombolítica

 

Enunciado para as questões 3 e 4:

Paciente mulher de 27 anos procura atendimento médico pois vem apresentando períodos em que se desliga do ambiente, executando movimentos repetitivos com as mãos e não responde a nenhum estímulo externo. Esses episódios têm duração aproximada de 2 minutos seguidos de certa confusão, nos últimos meses tem acontecido pelo menos um episódio por dia, e às vezes a paciente diz perceber que vai ter a crise pois sente uma “bola que sobe e desce no estômago” e aí não se lembra mais de nada, tudo o que sabe são o que as pessoas contam para ela. O exame neurológico é normal.

3) Qual o diagnóstico mais provável pela história apresentada?

A) Transtorno somatoforme

B) Epilepsia com crises parciais simples

C) Epilepsia com crises de ausência

D) Epilepsia com crises parciais complexas

E) Epilepsia juvenil com crises mioclônicas

 

4) Baseado na sua hipótese qual o medicamento que você recomendaria empiricamente para a paciente?

A) Etossuximida                                               

B) Diazepam                                      

C) Fenobarbital

D) Valproato de sódio

E) Carbamazepina

 

5) Paciente de 65 anos apresenta dor precordial em aperto de início há cerca de 30 minutos, sem fatores de melhora ou piora. Dá entrada ainda com dor, FC = 120 bpm, PA = 134 X 82 mmHg e FR 18 ipm. A conduta inicial mais adequada é:

A) administrar AAS e realizar um ECG em até 10 minutos da chegada

B) Administrar morfina até o paciente ficar sem dor e só então prosseguir investigação

C) administrar nitrato sublingual para verificar melhora da dor e só então realizar ECG

D) administrar AAS e encaminhar para trombólise

E) solicitar ECG e radiografia torácica e só então tomar outras medidas

 

6) Homem 55 anos HAS com controle irregular, relata cefaléia e tontura há 4 h. Ao exame paciente sonolento, algo confuso, fala empastada sem rigidez de nuca ou déficit motor aparente. Afebril, corado, hidratado, eupnéico FC 100, PA 240x135, BRNF, MV + bilateral sem ruídos adventícios. Fundo de olho com papiledema bilateral. Qual a conduta terapêutica nesse caso ?

A) Captopril 50 mg VO

B) Hidralazina 25mg EV de 20 em 20 minutos

C) Nitroprussiato de sódio início 0,25 mcg/Kg/min EV visando controle pressórico até chegar a PAS ao redor de 180 mmHg e diastólica ao redor se 105 mmHg, tendo como base a melhora dos sintomas.

D) Nicardipina 5 mg/h EV aumentando-se a cada 10 min até PA 130 x 85 mmHg

E) Nifedipina 10 mg SL repetindo-se até diminuição de 40 % da PAM.

 

7) Paciente previamente hipertenso em uso de clortalidona relata dor retroesternal há 5 horas em aperto sem irradiação que piora com decúbito e melhora quando sentado. Nega patologias prévias, no momento em uso de vitamina C devido a um resfriado comum, nega uso de outras medicações bem como drogas ilícitas. Exame físico sem alterações; ECG com supra desnivelamento de ST de 3 mm em DII, DIII, aVF; DI, aVL e de V2 a V6. Qual conduta terapêutica mais adequada baseada na hipótese diagnóstica mais provável?

A) AAS 200 mg, nitroglicerina venosa, metoprolol venoso, estreptoquinase 1500000 U em 1h

B) AAS 200 mg, nitroglicerina venosa, angioplastia primária

C)AAS 500 mg, nitrato sublingual, propranolol VO, r-TPA 15 mg bolus, 35 mg em 30 min e 50 mg em 1 h.

D) AAS 500 mg a cada 4 h, corticoesteróides em casos selecionados

E) AAS 100-325 mg mastigado, morfina 3 mg EV, oxigênio, nitrato SL, metoprolol 5 mg EV, angioplastia primária se disponível ou estreptoquinase 1500000 U em 1h

 

8) Paciente, tabagista de 58 anos, chega ao departamento de emergência com queixa de palpitações há 6 horas, consciente orientado, PA 132x78 mmHg, FR-20 e ausculta pulmonar normal. O ECG é mostrado abaixo. O diagnóstico é:

A) Marcapasso atrial mutável

B) Taquicardia paroxística benigna

C) Fibrilação atrial

D) Flutter atrial

E) Taquicardia de reentrada nodal

 

9) Homem de 70 anos é levado ao hospital em coma. Na admissão, todos os exames sanguíneos são normais exceto por Na=109 mEq/L. A análise urinária evidenciou Na 550 mEq/L e densidade urinária > 1030. Dentre as alternativas abaixo, qual a causa mais provável do quadro descrito:

A) Desidratação

B) Doença de Addison

C) Hipoaldosteronismo hiporreninêmico

D) Carcinoma de pequenas células de pulmão.

E) Uso de IECA

 

10) Em relação ao mesmo paciente, o tratamento para correção do distúrbio descrito é:

A) restrição hídrica e furosemida

B) furosemida e espironolactona

C) restrição hídrica e soro hipertônico

D) restrição hídrica, furosemida e SF 0,9%

E) restrição hídrica, furosemida, tiazídico  e SF 0,9%

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

11) Paciente de 70 anos, morador em casa de repouso apresenta quadro de diarréia há uma semana e hoje com aumento da sonolência. Ao exame encontra-se descorado, desidratado, sonolento e sem sinais focais ao exame neurológico. Colhida gasometria que evidenciou:

pH: 7,23, pO2: 85, pCO2: 32, BIC: 12, BE: -12, satO2: 93%. Qual distúrbio é melhor apresentado por essa gasometria:

A) acidose metabólica compensada adequadamente por

hiperventilação alveolar

B) acidose metabólica e acidose respiratória

C) Acidose metabólica com acidose lática

D) Alcalose respiratória compensada por acidose metabólica

E) Acidose metabólica

 

12) Qual das condições abaixo, a insuficiência renal NÃO deve ser investigada com biópsia renal?

A) nefropatia pelo diabetes

B) Lupus eritematoso sistêmico

C) Sd. nefrótica

D) Transplante renal

E) hematúria persistente

 

Enunciado para as questões 13 e 14.

Paciente de 15 anos dá entrada no Ps com sonolência, queixa de dor abdominal, taquipnéico, com respirações profundas. a glicemia capilar de entrada é superior ao limite máximo do aparelho: “Hi”. A pesquisa de ceto-ácidos na urina é fortemente positiva e a gasometria venosa revelou: pH: 7, 08 e Bicarbonato: 7 mEq/l.

 

13) Quanto a gravidade e o tratamento inicial, qual a alternativa mais adequada?

A) cetoacidose grave, 100 mEq de bicarbonato em 2 horas, enquanto você espera o resultado dos exames

B) cetoacidose moderada, 1000 ml de SF em 1 hora, enquanto você espera o resultado dos exames

C) cetoacidose grave, 1000 ml de SF em 1 hora, enquanto você espera o resultado dos exames

D) cetoacidose moderada, 50 mEq de bicarbonato em 1 hora, enquanto você espera o resultado dos exames

E) Cetoacidose grave, 100 mEq de bicarbonato em 1 hora e 10 U de insulina EV em boulos, não há necessidade de esperar exames devido a gravidade do caso.

 

14) Após 45 minutos chegam os exames iniciais: K_ 3,9,

Na_126, glicemia_830, U_32, Cr_0,8. Frente a esses achados, entre as alternativas abaixo qual a mais adequada?

A) Insulina EV em boulos (0,15U/Kg) seguida de insulina em infusão contínua EV, com queda da glicemia entre 50 e 70 mg/dl por hora

B) Insulina em infusão contínua EV com queda da glicemia de 100mg/dl por hora

C) Repor potássio até a dosagem ser superior a 5 mEq/l para iniciar a

terapia com insulina, pelo risco de hipocalemia

D) Insulina na dose de 0,4 U/kg, metade EV e metade SC seguidos de 0,1 U/Kg de hora em hora até glicemia menor que 250

E) Repor sódio até normalização já que esta pode ser a causa da sonolência do paciente

 

15) Paciente com quadro agudo de dor ocular intensa, visão turva, olho vermelho e pupila dilatada. Qual a sua primeira hipótese?

A) episclerite

B) glaucoma

C) Conjuntivite

D) descolamento de retina

E) trombose da veia central da retina

 

16) É correto afirmar sobre a anemia falciforme, exceto:

A) nessa condição é maior a ocorrência de infecções por germes capsulados

B) o diagnóstico é feito pela eletroforese de hemoglobina

C) hipóxia e frio podem desencadear crises de falcização

D) síndrome torácica aguda é de origem exclusivamente infecciosa

E) até 70% dos pacientes desenvolvem colelítiase

 

17) Paciente de 63 anos, pedreiro dá entrada no PS com queixa de parestesia em MID, em faixa com origem em região lombar direita estendendo-se até hálux direito. Há cerca de três meses passou a sentir dor em região lombar de intensidade progressiva. a radiografia de coluna vertebral mostra inúmeras lesões líticas com desabamento de vértebras em coluna lombar e sacral. Exames laboratoriais de entrada Hb_ 9,2 mg/dl, leuc. 7300, plaquetas_ 180000, Na_ 136, K_4,8, Ca total_ 13, 4 mg/dl, Cr_ 2,1 e U_58. Qual a hipótese diagnóstica mais provável e que exame confirmaria o diagnóstico?

A) Mal de Pott (tuberculose na coluna vertebral), biópsia de medula com PBAAR e cultura de BAAR

B) Metástase de CA de próstata, PSA, USG de próstata e cintilografia óssea

C) Mieloma múltiplo, biópsia de medula óssea, proteinúria de Bence- Jones, eletroforese de proteínas

D) Hérnia de disco, RNM de coluna vertebral

E) Osteoporose, densiteometria óssea

 

18) Mulher de 29 anos com antecedente de Lupus Eritematoso Sistêmico, vem em acompanhamento por insuf. renal relacionada ao quadro de lúpus, em uso de prednisona 30mg/dia e pulso mensal com ciclofosfamida, desenvolveu nos últimos 5 dias quadro de agitação psicomotora com alucinações e delírios, diz que a “família planeja matá-la para roubar sua filha que ainda não nasceu”. Qual dos exames abaixo falaria a favor da atividade da doença levando ao quadro psiquiátrico?

A) Eletrólitos normais

B) anticorpo anti-P positivo

C) FAN e anti-DNA nativo positivos

D) RNM normal

E) líquor normal

 

19) Paciente feminina, 62 anos, foi admitida no PS com quadro de insuficiência respiratória aguda associada a broncoespasmo severo. É alérgica a pó e esteve limpando armários há 2 dias. Está lúcida, apresenta fala entrecortada, tiragem intercostal, sudorese e cianose leve. Dentre as medidas abaixo, a que não apresenta benéfico comprovado na fase aguda o quadro descrito é:

A) inalação com beta-2 agonistas

B) corticosteróide endovenoso

C) brometo de ipratrópio

D) CPAP

E) Aminofilina EV

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

20) A mesma paciente, apesar de máscara com 10 l/min de

Oxigênio, mantém saturação arterial de Oxigênio de 85%. Qual medida seria mais adequada para corrigir este distúrbio:

A) Ventilação não invasiva com mascara de CPAP com fluxo baixo e Peep acima de 15 cmH2O

B) Intubação traqueal e ventilação com Pressão de suporte e Peep acima de 10 cm H2O

C) Ventilação não invasiva com mascara de CPAP com fluxo alto e Peep em 5 cm H2O

D) A despeito do quadro clínico, a intubação traqueal e ventilação com Pressão controlada é a melhor opção terapêutica

E) Aplicar sedação leve para a paciente, pois a ansiedade piora a hipoxemia.

 

21) Uma complicação séria da vagotomia super-seletiva

(vagotomia gástrica proximal) é:

A) Diarréia.

B) Dumping

C) Colelitíase

D) Necrose da pequena curvatura do estomago.

E) Hipocalemia.

 

22) Um motociclista inconsciente e sem nenhum sinal localizatório neurológico é admitido após acidente. A PA está normal (120/80 mmHg). O raio-X de tórax demonstra um derrame pleural moderado no hemitórax esquerdo e um alargamento mediastinal discreto e obliteração da sombra do músculo psoas. Hematúria está presente. O diagnostico mais sério e com risco de vida iminente é:

A) Hemotórax.

B) Trauma renal.

C) Ruptura da aorta torácica.

D) Hematoma retroperitoneal.

E) Nenhuma das anteriores.

 

23) A embolia gasosa, como complicação da colecistectomia videolaparoscópica, ocorre principalmente durante:

A) insuflação peritoneal e mobilização visceral com instrumental;

B) desinsuflação peritoneal;

C) insuflação peritoneal e dissecção da vesícula biliar;

D) eletrocoagulação e lavagem peritoneal.

E) vazamento de ar no tecido subcutâneo

 

24) Um paciente é mantido em ventilação mecânica com cânula de traqueostomia com balão insuflado. Apresenta hemorragia súbita e maciça através da traqueostomia. A melhor conduta para o controle da hemorragia grave é através da esternotomia mediana com:

A) ligadura ou clipagem da artéria inoninada;

B) reparo primário da artéria inonimada e interposição de tecido;

C) divisão da artéria inonimada e sutura de suas partes seccionadas;

D) divisão da artéria inonimada e inserção de prótese vascular;

E) divisão da artéria inonimada e inserção de enxerto venoso.

 

25) Um paciente de 35 anos saudável submetido a uma cirurgia abdominal eletiva (colecistectomia) apresentou 12 horas mais tarde uma temperatura de 40° C e seu pulso estava em 110/ minuto. A provável causa para estas alterações no pós operatório imediato é:

A) Infecção de ferida

B) Colangite aguda

C) Infecção do trato urinário

D) Sangue na cavidade peritoneal

E) Atelectasia

 

26) Um homem de 40 anos foi submetido a uma ressecção

abdominoperineal por carcinoma do reto. O paciente não apresentava nenhum problema urológico no pré-operatório. Entretanto, quando a sonda vesical de demora foi removida o paciente apresentava dificuldade de urinar. A causa mais provável é:

A) Angulação da bexiga devido a remoção dos tecidos retais

B) Trauma prostático conseqüente ao ato operatório

C) Ruptura dos nervos autonômicos da pelve

D) Ligadura da artéria mesenterica inferior adjacente a aorta

E) Hipertrofia prostática benigna

 

27) Sinais de prognóstico desfavorável na pancreatite aguda incluem cada uma das alternativas abaixo, EXCETO:

A) Elevação da amilase sérica inicialmente

B) PO2 < 50 torr

C) Cálcio serico < 7,5mg/100 ml

D) Queda do hematocrito > 10%

E) Uréia > 40mg/100 ml

 

28) Nos pacientes cirúrgicos, em estado catabólico, quais das seguintes alterações na composição corporal não ocorre?

A) Aumento da massa muscular

B) Aumento da água corporal total

C) Decréscimo dos tecidos adiposos

D) Perda de peso corporal

E) Imunodeficiência

 

29) O sinal mais sensível do choque hipovolêmico é:

A) Hipotensão                     D) Vasoconstriçao cutânea

B) Agitação                         E) Nenhuma das anteriores

C) Taquicardia

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

Questões 30 a 32

Após quatro dias da operação de gastrectomia parcial com reconstrução à Billroth II, o paciente, um homem de 55 anos de idade, apresenta dor abdominal súbita no quadrante superior direito. Ao exame, seu abdômen está rígido e ele apresenta febre.

30) O diagnóstico provável é:

A) Fístula duodenal

B) Pancreatite aguda

C) Colecistite aguda pós-operatória

D) Infecção de ferida

E) Ruptura tardia de baço lesado na cirurgia

31) O procedimento diagnóstico mais sensível será:

A) Transito intestinal com bário

B) Amilase e lipase sérica

C) Coleta urinária de amilase por 2 horas

D) Leucograma

E) Paracentese abdominal

 

32) O tratamento consiste em:

A) Esplenectomia

B) Sondagem nasogástrica e aspiração do conteúdo e administração de anticolinérgicos

C) Colecistectomia

D) Abordagem cirúrgica imediata para drenagem abdominal

E) Antibioticoterapia e analgesia, com observação clínica por 2 dias

 

33) Uma criança aspirou um amendoim e apresenta-se cianótica. Não é possível o exame torácico devido a agitação da criança. Administrado oxigênio por máscara e solicitado imagem do tórax, no leito da emergência. Na expiração nota-se que o tórax se desvia para a direita. Onde o corpo estranho está localizado?

A) Brônquio fonte direito          D) Traquéia

B) Brônquio fonte esquerdo       E) Parênquima pulmonar

C) Esôfago

 

34) Paciente do sexo masculino com dor de forte intensidade tipo cólica em região lombar esquerda com irradiação para testículo de início há 5 horas associado a náusea e polaciúria.Após a medicação analgésica, qual o(s) exame(s) mais adequados, na emergência, para elucidação diagnóstica:

A) Urografia excretora e urinálise

B) Ressonância magnética e urinálise

C) Radiografia de abdome (RUB) e urinálise

D) Urografia excretora e dosagem de cálcio sérico

E) Radiografia de abdome (RUB) e dosagem de cálcio sérico

 

35) Paciente com dor tipo cólica em região lombar com irradiação para genitália há 24hs e posterior diagnóstico de cálculo ureteral localizado em ureter distal medindo 3mm com discreta dilatação ureteral e no momento com melhora da dor com medicação via oral. Qual a melhor conduta?

A) Hidratação, analgesia e observação

B) Litotripsia extra corpórea por ondas de choque (LECO)

C) Ureterolitotripsia endoscópica

D) Ureterolitotomia

E) NDA

 

36) São alterações comuns da Síndrome dos Ovários Policísticos, exceto:

A) Hiperplasia das células tecais ovarianas com aumento da produção de androgênios

B) Inibição do fenômeno de dominância folicular

C) Resistência periférica a insulina aumentada

D) Aumento dos níveis de relativos de FSH quando comparados com o LH

E) Hirsurtismo e obesidade

 

37) A translucência nucal é medida através do USG morfológico de 1º trimestre de gestação, e consiste em:

A) Método de rastreamento para doenças genéticas no embrião

B) Diagnóstico de meningomielocele

C) Avaliar defeitos no sitema nervoso central

D) Avaliar bem estar fetal

E) Calcular com acurácia idade gestacional

 

38) São fatores de risco para pré eclampsia numa gestante:

A) primiparidade,gestação mútipla, polidrâmnio, aborto anterior

B) primiparidade, obesidade, aborto anterior, diabetes

C) primiparidade, mudança de parceiro, obesidade, raça negra

D) primiparidade, diabetes, raça negra, aborto anterior

E) primiparidade, mola hidatiforme, antecedentes familiares de eclampsia, hipertensão crônica

 

39) São considerados fatores predisponentes para ocorrência de rotura uterina em pacientes em franco trabalho de parto:

A) fórceps, desproporção cefalopélvica, endometriose

B) desproporção cefalopélvica, acretismo placentário e cesáreas anteriores

C) cirurgias uterinas anteriores, anomalias congênitas e malformações uterinas

D) hipercontratilidade placentária, acretismo plcentário, Miomectomia anterior

E) N.D.A.

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

40) Uma jovem de 18 anos refere ter incapacidade para ter

relações sexuais, apresenta amenorréia primária e desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários normal para a idade. Seu diagnóstico provável é de:

A) Síndrome de Asherman

B) Síndrome de Rokitansky-Kuster-Hauser

C) Síndrome de Stein-Leventhal

D) Síndrome de Allen-Masters

E) N.D.A.

 

41) Durante o acompanhamento pré-natal, uma gestante de 14 semanas traz resultado de VDRL 1:4, FTA-Abs (+). Nega qualquer sintoma atual ou prévio sugestivo de sífilis, ou parceiro sabidamente infectado. Não se recorda de qualquer tratamento prévio com penicilina. Diante desse quadro, sua conclusão é que:

A) o tratamento deve ser imediato com penicilina benzatina.

B) não se trata de sífilis porque o título é menor que 1:8.

C) a idade gestacional precoce impede conduta terapêutica imediata.

D) não há risco de infecção congênita com esse título.

E) nenhuma das anteriores.

 

42) Paciente de 32 anos, pós-operatório de 4.o dia (cesariana por síndrome hipertensiva grave), retorna ao hospital com queixa de dor no baixo ventre, abaulamento no local e nega febre. Ao exame, constata-se regular estado geral, palidez cutâneo-mucosa +++/++++, PA=130 x 90 mmHg, temperatura axilar 36,8 graus Celsius, pulso de 102 bpm. Abdome: abaulamento em topografia hipogástrica, útero contraído e ao toque colo impérvio. Qual a sua hipótese diagnóstica e respectivo exame comprobatório?

A) Infecção puerperal – hemograma completo.

B) Presença de restos placentários – ultra-sonografia.

C) Hematoma de parede abdominal – ultra-sonografia.

D) Abscesso em parede abdominal – hemograma completo.

E) Nenhuma das anteriores.

 

43) Nulípara com queixa de palpitação e cefaléia progressivas, com início há dois dias, apresenta hemorragia genital de forte intensidade, indolor. Atraso menstrual há 4 meses. Nega uso de método anticoncepcional, tem vida sexual ativa e ciclos menstruais normais. Ao exame: ansiosa, descorada, com tremor de extremidades. PA = 150 x 110 mmHg, FC = 140 bat./min.

Abdome com massa palpável desde sínfise púbica até 2 cm acima da cicatriz umbilical, não doloroso. Ausência de BCF. Exame ginecológico: colo de aspecto normal, presença de sangramento em moderada quantidade. Ao toque: colo amolecido, impérvio. Frente a esses achados, qual a hipótese diagnóstica?

A) Descolamento prematuro de placenta.

B) Gestação tópica com óbito fetal.

C) Mola hidatiforme com sinais de hipertireoidismo descompensado.

D) Gravidez ectópica tubária rota.

E) Placenta prévia.

 

44) Ao receber os resultados dos exames laboratoriais pedidos na primeira consulta pré-natal de uma primigesta, o obstetra se depara com a seguinte situação: tipagem sangüínea A Rh +, com Coombs indireto positivo. A interpretação desse resultado deve ser:

A) É situação desprovida de importância durante o pré-natal, pois não há interferência na evolução do concepto, já que a paciente é Rh positivo.

B) É erro laboratorial e o exame deve ser repetido.

C) Só não será erro laboratorial se o marido for Rh negativo ou se a paciente tiver recebido transfusão sangüínea com sangue Rh negativo.

D) A paciente pode ter anticorpos circulantes contra outros antígenos eritrocitários, que não o Rh.

E) Nenhuma das anteriores.

 

45) Gestante de 30 anos, 4 partos vaginais anteriores, 30 semanas, febril (38,5º C), refere perda de líquido via vaginal há 19 horas. Ao exame obstétrico, observou-se saída de líquido pelo colo uterino. Ultra-sonografia com índice de líquido amniótico de 8 cm; batimento cardiofetal rítmico de 175 bpm. Qual a conduta?

A) Antibioticoterapia.

B) Antibioticoterapia e indução da gestação.

C) Corticoterapia e antibioticoterapia.

D) Corticoterapia, antibioticoterapia e indução da gestação.

E) Parto cesárea.

 

46) Primigesta, 39 semanas, altura uterina 36 cm, em trabalho de parto, foi submetida a anestesia peridural contínua. Exame obstétrico revelou feto em boas condições de vitalidade, ângulo subpúbico normal, espinhas isquiáticas planas, apresentação cefálica fletida e bolsa rota. Após 1 hora de período expulsivo, a apresentação fetal encontrava-se 3 cm abaixo do plano das

espinhas isquiáticas, com bossa serossangüínea (2/4+), parietal anterior pouco acessível ao toque, sutura sagital no plano transverso da pelve materna e fontanela occipital situada à direita. Quanto ao diagnóstico e conduta, pode-se afirmar que há:

A) distócia de insinuação, defletida de 1.o grau, estando indicado uso de fórcipe de Kielland.

B) desproporção céfalo-pélvica em estreito superior, assinclitismo posterior, estando indicada a cesárea.

C) distocia de rotação em ODT, assinclitismo anterior, estando indicada a cesárea.

D) distocia de rotação em variedade ODT, assinclitismo posterior, estando indicado uso de fórcipe de Kielland.

E) Período expulsivo prolongado.

 

47) Parturiente de 34 anos, 3G 2P, com gestação de 39 semanas. Teve dois partos normais prévios. Iniciou trabalho de parto há duas horas. Ao exame obstétrico apresenta 4 contrações em 10 minutos. Os batimentos cardíacos fetais apresentam queda durante a contração (de 136 bpm para 112 bpm), com retorno aos níveis prévios ao término da contração. O colo uterino apresenta dilatação de oito cm, com líquido amniótico meconial (fluido). A conduta obstétrica é:

A) ocitocina para acelerar o trabalho de parto.

B) cesariana de imediato.

C) aguardar a evolução para parto normal.

D) traquelotomia e fórcipe de alívio.

E) fórcipe de Kielland.

 

48) Paciente feminina, 41 anos, colheu papanicolau de rotina que evidenciou lesão de alto grau .Realizou colposcopia, que acusou vasos atípicos, mosaico grosseiro e zona de transformação tipo I, efetuando biópsia da área com lesões. Ao exame pélvico, tanto fundo vaginal quanto paramétrios encontravam-se livres de comprometimento. O laudo histológico da biópsia mostra carcinoma espinocelular invadindo 8mm a partir da membrana basal. A conduta correta a ser tomada neste caso é:

A) Conização do colo uterino

B) Exérese da lesão com laser

C) Histerectomia total abdominal

D) Cirurgia de Werthein- Meighs

E) Cirurgia de cito redução

 

49) Paciente do sexo feminino, 17 anos, chega no consultório com queixa de nódulo indolor em quadrante supero lateral de mama esquerda, há 6 meses, sem crescimento desde então, indolor. Ao exame físico é um nódulo fibroelástico, móvel, de aproximadamente 1 cm, com axilas livres bilateralmente. O exame ultrassonográfico de mamas revela imagem sólida, nodular, homogênea, de 1,2 cm de diâmetro. A conduta a ser tomada é:

A) Segmento em seis meses

B) Mamotomia

C) Mamografia para confirmação das características da lesão

D) Punção com agulha fina

E) Biópsia excisional

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

50) Mulher, 62 anos de idade, quintigesta, quatro partos normais anteriores e um abortamento, com queixa de perda urinária aos pequenos esforços e urgência miccional. No exame físico apresenta procidência de parede vaginal anterior moderada e rotura perineal. O exame mais indicado para esclarecer a etiologia da incontinência urinária neste caso é :

A) Uretrocistografia miccional

B) Teste do cotonete

C) Urina I, urocultura e antibiograma

D) USG do colo vesical

E) Teste urodinâmico

 

51) Lactente com 7 meses de vida, vem apresentando recusa alimentar, febre de 390. e hipoatividade há 12 horas. Há 7 dias foi atendido num PS devido a febre tosse e choro intenso sendo medicado com amoxacilina devido a OMA e BCP que usou corretamente. Evoluiu com melhora parcial do quadro, mantendo tosse produtiva sem dispnéia, porém com estado geral comprometido, vômitos pós prandiais e diminuição da aceitação alimentar. Ao exame apresenta-se prostrado, pálido, taquicárdico, com temperatura de 38,7º, fontanela pouco tesa. Foi colhido líquor por punção lombar que revelou: 2.360 células (75%PMN e 25% LMN), proteínas 100mg%. Glicose 18mg%, baceterioscopia: em andamento. Com relação ao quadro acima, assinale a alternativa incorreta.

A) O agente envolvido pode ser o Pneumococo, e devemos considerar a possibilidade de resistência a penicilina.

B) O H.influenzae B pode causar quadro semelhante, porém será menos provável se o esquema de imunização estiver completo.

C) O quadro é grave o bastante para supor que se trate de S.aureus resistente à meticilina.

D) A utilização de dexametasona endovenosa está indicada até que se conheça o agente etiológico.

E) Poderíamos optar por uma cefalosporina de terceira geração como antibiótico empírico até isolamento do agente.

 

52) Qual destes vírus não está relacionado à meningite linfomonocitaria em pré- escolares:

A) Vírus da rubéola            D) Cocksakie A

B) Vírus da caxumba        E) Herpesvirus Humano 6

C) Varicela-zoster

 

53) Quais os casos de diarréia aguda não complicada que devem receber antibioticoterapia?

A) Cólera, shigelose em crianças institucionalizadas

B) Salmonelose, Diarréia por toxina Stafilocóccica

C) Cólera e diarréia por Echerichia coli Enteropatogênica Clássica

D) Shigelose e Salmonelose

E) Salmonelose e diarréia por rotavírus.

 

54) A diarréia aguda quando incorretamente tratada , pode evoluir para diarréia prolongada com sérias conseqüências como síndrome de má absorção e desnutrição. Qual destas condutas é a mais adequada para evitar estas complicações?

A) Terapia de reidratação oral, manutenção da dieta, cuidados com a higiene pessoal e alimentar.

B) Antibioticoterapia, hidratação endovenosa e dieta obstipante.

C) Antibioticoterapia, hidratação endovenosa e suspensão da dieta

D) Antibioticoterapia, carbonato de cálcio e reidratação oral

E) Aleitamento materno, antiespasmódicos e água filtrada.

 

55) Durante o mês de maio, lactente jovem é trazido ao pronto atendimento com história de ter tido febre, não aferida, com tosse e falta de ar há 2 dias com piora progressiva. Ao exame clínico: mal estado geral, desconfortável, freqüência respiratória de 85 ipm, tiragem intercostal (3intercostos) e batimento de asa nariz. Ausculta pulmonar: MV presente com diminuição no ápice do lobo superior direito, expiração prolongada, sibilos expiratórios difusos e estertores grossos em ambos os hemitórax. A 1ª. conduta para este lactente é:

a) solicitar RX de tórax

b) prescrever oxigenioterapia

c) prescrever inalação com adrenalina

d) prescrever inalação com beta 2 adrenérgico

e) solicitar gasometria arterial

 

56) Você está atendendo na UBS e chega uma criança de 8

semanas de vida em bom estado geral, com quadro de tosse persistente, desconforto respiratório leve, taquipnéia e sem febre. O parto foi vaginal e a criança apresentou conjuntivite bilateral com 10dias de vida. Qual a sua conduta?

A) por se tratar de lactente jovem devemos interná-lo, iniciando o tratamento com Ceftriaxona por 10dias.

B) como o agente pode ser o vírus respiratório sincicial devemos acompanhar o caso por mais 5dias para verificar a evolução

C) como é bom o estado geral e não há febre a realização do RX tórax é desnecessária.

D) o hemograma deve ser solicitado e você espera encontrar a presença de eosinofilia periférica (>400células/mm3)

E) o tratamento deve ser penicilina oral nas doses habituais por 10dias.

 

57) Adolescente de 12anos vem à consulta com quadro de tosse persistente há 12 dias. No inicio do quadro apresentava de dor de garganta, febre, sem coriza e escarro era espumoso e branco. Ao exame físico apresentava estertores bolhosos finos e a otoscopia foi presenciada miringite bolhosa. Qual a sua hipótese diagnóstica?

a) pneumonia por Pneumococo

b) pneumonia por Chlamydia trachomatis

c) pneumonia Viral

d) pneumonia por Clamydia pneumoniae

e) pneumonia por Mycoplasma pneumoniae

 

58) Criança encefalopata desde dois meses de idade, atualmente com dois anos chega ao PA com queixa de irritação nasal, dor de “garganta”, coriza nasal, espirros e febre ausente há 5dias. Ao exame físico observamos conjuntiva e a faringe hiperemiada e pulmões sem alterações. Recebe tratamento sintomático e alta. Após 7dias volta ao PA, pois a tosse não melhorou esta mais curta, seca, irritadiça, com períodos de paroxismos.  Indique a opção que apresenta o agente etiológico mais provável.

A) vírus respiratório sincicial

B) vírus influenzae

C) vírus rinovírus

D) clamydia trachomatis

E) bordetella pertussis

 

59) No exame do quadril do recém-nascido, é muito importante a realização do teste de:

A) Dick                                                 D) Barlow

B) Adams                                            E) Virchow

C) Denver

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

60) São fatores de risco para o desenvolvimento da retinopatia da prematuridade.

A) menos de 2 kg de peso ao nascimento, mãe diabética,

oxigenioterapia

B) mãe diabética, menos de 36 semanas de gestação, enterocolite necrosante.

C) oxigenioterapia, enterocolite necrosante, mãe diabética

D) enterocolite necrosante, menos de 36 semanas de gestação, menos de 2 kg de peso ao nascimento

E) menos de 2 kg de peso ao nascimento, menos de 36 semanas de gestação, oxigenioterapia

 

61) Paciente do sexo feminino, com 15 anos de idade, se encontra no Percentil 3 de Estatura/ idade e no Percentil 10 de Peso / idade. Sua mãe tem altura que corresponde ao percentil 50, e seu pai tem altura no percentil 75. A adolescente é M1P1 de acordo com a classificação de Tanner. Ainda na idade pré-escolar foi submetida à cirurgia cardíaca para correção de Coarctação da Aorta. Qual será a provável causa da baixa estatura desta paciente?

A) Baixa estatura familiar

B) Atraso constitucional do crescimento

C) Hipotireoidismo

D) Sd. de Turner

E) Seqüela da cardiopatia congênita

 

62) Paciente de 5 anos de idade tem surdez neurossensorial. A história neonatal é de prematuridade e baixo peso ao nascer. Permaneceu internado no berçário até completar 3 meses de vida. Durante o 1º ano de vida convulsões tonico-clônicas generalizadas levaram à realização de TC de crânio que revelou discretas calcificações periventriculares. O quadro de convulsões é controlado com uso de carbamazepina. Um possível agente

infeccioso, causador de infecção congênita, que poderia explicar o quadro, e que tem como uma das  principais seqüelas a surdez é :

A) Toxoplasma                                  D) Herpes simplex

B) Citomegalovirus                            E) Treponema pallidum

C) Vírus da rubéola

 

63) No tratamento da crise hipercianótica de um  lactente com T. de Fallot foram dados os seguintes passos:

I- Colocado em posição genu-peitoral

II- Oferecido Oxigênio

III- Feita morfina IV

Não houve melhora. Qual o passo seguinte?

A) Colher gasometria p/ quantificar a hipoxia

B) Fazer um Dextrostix (glicemia capilar)

C) Bicarbonato IV

D) Furosemida

E) Iniciar dobutamina

 

64) Menina de 7 anos veio ao ambulatório de Pediatria com queixa de uma cefaléia frontal crônica. Apresenta o sintoma há cerca de 1 ano, porém permanece algumas semanas sem dor. A cefaléia ocorre durante o dia e custuma piorar durante suas aulas na escola. Quando sente dor a criança tem dificuldade de executar qualquer tarefa. Costumam haver náuseas e vômitos associados à dor. Durante as crises de dor procura, se possível, descansar no seu quarto e quando acorda, na maioria das vezes, está sem

dor. A mãe também sofre com dores de cabeça muito fortes que às vezes a impedem de trabalhar. Qual o seu diagnóstico e conduta?

A) Enxaqueca / Prescrever analgésicos

B) Tumor de Sistema Nervoso Central / Solicitar TC de crânio

C) Distúrbio de refração / Encaminhar ao oftamologista

D) Cefaléia de tensão / Prescrever tranquilizantes

E) Epilepsia de lobo temporal / Prescrever carbamazepina

 

65) É esperado que um lactente de 10 meses de idade com

desenvolvimento normal seja capaz de:

A) Fazer uma torre com 2 cubos

B) Virar as páginas de um livro

C) Combinar 2 ou 3 palavras

D) Pegar objetos usando o polegar e o indicador

E) Desenhar uma linha com um lápis

 

66) Assinale a alternativa que traz a correta associação em relação a tipos de estudos epidemiológicos:

estudo de coorte

estudo de caso-controle

estudo ecológico

inquéritos ou surveys fácil execução e baixo custo relativo,

capaz de gerar hipóteses

inadequado para doenças raras

produz “instantâneo” da situação de

saúde, útil na atenção primária

baixo poder descritivo

A) I. 1; II. 4; III. 2; IV. 3

B) I. 3; II. 1; III. 4; IV. 2

C) I. 1; II. 3; III. 4; IV. 2

D) I. 2; II. 4; III. 1; IV. 3

E) I. 3; II. 2; III. 1; IV. 4

 

Responda as questões de 67 a 69:

Uma investigação foi realizada para verificar a eficácia de uma nova vacina contra uma doença X. Dois mil indivíduos propensos a contrair essa doença foram selecionados e então aleatorizados, constituindo um grupo experimental e um grupo controle (cada grupo com 1000

indivíduos). Ao final da investigação foram constatados 10 casos da doença X no grupo experimental e 50 casos no grupo controle.

 

67) O tipo de estudo realizado foi:

A) follow-up                               D) estudo de intervenção

B) estudo ecológico                   E) estudo transversal

C) estudo de caso-controle

 

68) O risco de se contrair a doença X mesmo tendo recebido vacina foi:

A) 0,5%                                                D) 0,2%

B) 5%                                                   E) 2,5%

C) 1%

 

69) O risco de se contrair a doença X entre os indivíduos não vacinados foi:

A) 0,2%                                                D) 1%

B) 5%                                                   E) 0,5

C) 2,5%

 

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI

Sobre infectividade e patogenicidade responda às questões de 74 e 75:

74) Um germe que apresenta alta infectividade e alta patogenicidade é introduzido em uma comunidade. Assinale a alternativa que apresente o que deve acontecer na comunidade e um exemplo de doença que se enquadre nessa categoria:

A) provavelmente um número elevado de indivíduos suscetíveis será acometido se forem expostos mas poucos indivíduos entre os acometidos manifestarão a doença; sarampo.

B) provavelmente um número elevado de indivíduos suscetíveis será acometido se forem expostos e praticamente o mesmo número de acometidos manifestará a doença; sarampo.

C) provavelmente nada acontecerá, mesmo que a população exposta seja suscetível; tuberculose.

D) provavelmente toda comunidade será acometida e grande parte dos acometidos irá a óbito; meningite por meningococo.

E) não é possível prever o que aconteceria.

 

75) Um germe que apresenta alta infectividade e baixa patogenicidade é introduzido em uma comunidade. Assinale a alternativa que apresente o que deve acontecer na comunidade e um exemplo de doença que se enquadre nessa categoria:

A) provavelmente um número elevado de indivíduos suscetíveis será acometido se forem expostos mas poucos indivíduos entre os acometidos manifestarão a doença; meningite por meningococo.

B) provavelmente um número elevado de indivíduos suscetíveis será acometido se forem expostos e praticamente o mesmo número de acometidos manifestará a doença; meningite por meningococo.

C) provavelmente nada acontecerá, mesmo que a população exposta seja suscetível; hanseníase.

D) provavelmente toda comunidade será acometida e grande parte dos acometidos irá a óbito; sarampo.

E) não é possível prever o que aconteceria.

GABARITO COM RESPOSTAS, AQUI